AlagoasDestaque

Covid-19: AL chega aos 37 mil casos, com quase 1.100 óbitos e 29 mil curados

A Secretaria de Estado da Saúde (SESAU) divulgou, no início da noite desta quinta-feira (2), o mais recente Boletim Epidemiológico sobre a situação da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) em Alagoas. Veja os principais números:

  • 37.328 casos confirmados;
  • 1.091 óbitos;
  • 29.185 curados;
  • 2.560 casos em investigação;
  • 102 municípios afetados.

Os dados do órgão apontam que, nas últimas 24 horas, foram registradas mais 19 mortes e 506 pacientes infectados. Os recordes contabilizados no Estado aconteceram nos dias 14 e 5 de maio, quando, respectivamente, 1.312 casos e 26 óbitos foram confirmados em apenas um dia.

Do total de pessoas que testaram positivo para o vírus, 6.821 estão em isolamento domiciliar e 229 internados em leitos públicos ou privados. Os considerados como curados já finalizaram o período de isolamento e não apresentam mais sintomas compatíveis ao do novo coronavírus.

Até as 17h desta quarta (1º), 653 leitos criados para atender suspeitas e confirmações do novo coronavírus estavam ocupados, o que corresponde a 53% do total. Neles, 198 pacientes estão em leitos de UTI, 20 em leitos intermediários e 435 em enfermaria. Alagoas tem 1.238 leitos exclusivos.

ÓBITOS EM ALAGOAS

Mais uma vez, o interior de Alagoas registrou o maior número de óbitos diários por Covid-19. Das 19 novas mortes confirmadas laboratorialmente, quatro residiam na capital alagoana (três homens, com 75, 52 e 62 anos, e uma mulher, com 79 anos) e 15 no interior ( nove homens e seis mulheres

Segundo o Boletim Epidemiológico, o homem de 75 anos sofria de doença cardiovascular e faleceu na Santa Casa de São Miguel dos Campos. O de 52 anos não tinha registro de comorbidades e morreu no Hospital MedRadius. O de 62 anos também apresentava comorbidades e evoluiu para óbito no Hospital Humanité. A mulher de 79 anos era cardiopata, diabética e hipertensa e faleceu no Hospital Sanatório.

Entre as vítimas no interior, o homem de 104 anos, natural de Passo de Camaragibe, tinha hipertensão e faleceu em casa. O de 82 anos morava em Passo do Camaragibe, era diabético, hipertenso e também morreu em casa. O de 79 anos, que residia em Pilar, não tinha doenças pré-existentes e faleceu no Hospital Humanité. O de 66 anos, natural de Atalaia, sofria de diabetes e morreu no Hospital da Mulher. O de 69 anos morava em Maragogi, não tinha registro de comorbidades e faleceu no Hospital da Mulher. O de 74 anos, que residia em Batalha, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Daniel Houly. O de 82 anos, que morava em Santana do Ipanema, sofria de diabetes e morreu no Hospital Carvalho Beltrão. O de 73 anos, natural de Viçosa, não tinha registro de comorbidades e faleceu no Hospital Metropolitano, enquanto o de 65 anos morava em São José da Laje, era diabético e evoluiu para óbito no Hospital da Mulher.

Já a mulher de 70 anos, que residia em Teotônio Vilela, sofria de diabetes e faleceu no Hospital Nossa Senhora das Graças. A de 65 anos, natural da Barra de São Miguel, era diabética e morreu no Hospital da Mulher. A de 45 anos morava em Matriz do Camaragibe, era diabética e faleceu no Hospital da Mulher. A de 63 anos era de Viçosa, tinha diabetes e evoluiu para óbito no Hospital da Mulher. A de 70 anos, que residia em Flexeiras, não tinha registro de comorbidades e faleceu no Hospital da Mulher. A mulher de 66 anos morava em Feira Grande, não tinha registro de comorbidades e morreu no Hospital de Campanha de Girau do Ponciano.

DISTRIBUIÇÃO POR MUNICÍPIOS

Os casos confirmados estão distribuídos em 102 cidades: Maceió (15.833), Arapiraca (3.193), Marechal Deodoro (1.262), São Miguel dos Campos (850), Coruripe (747), Rio Largo (734), Pilar (663), Teotônio Vilela (657), Campo Alegre (545), União dos Palmares (514), Boca da Mata (492), Porto Calvo (469), Girau do Ponciano (456), São Sebastião (443), Atalaia (423), Matriz do Camaragibe (406), Palmeira dos Índios (403), São Luís do Quitunde (386), Capela (355), São José da Laje (346), Junqueiro (332), Satuba (325), Maragogi (295), Murici (265), Santana do Ipanema (264), Delmiro Gouveia (253), Jequiá da Praia (251), Olho d’Água das Flores (232), Anadia (218), Craíbas (216), Messias (202), Piaçabuçu (199), Passo de Camaragibe (185), Major Izidoro (183), Batalha (181), Maribondo (177), Pão de Açúcar (174), Colônia Leopoldina (169), Penedo (169), Viçosa (145), Taquarana (139), Flexeiras (135), Cajueiro (134), Joaquim Gomes (132), Coqueiro Seco (131), Santa Luzia do Norte (128), Lagoa da Canoa (124), Limoeiro de Anadia (117), Paulo Jacinto (112), São José da Tapera (96), Barra de Santo Antônio (94), São Miguel dos Milagres (93), Quebrângulo (93) e Porto Real do Colégio (93).

Japaratinga (92), Feira Grande (92), Barra de São Miguel (89), Novo Lino (86), Ibateguara (85), Paripueira (84), Traipu (83), Igaci (78), Igreja Nova (74), Branquinha (74), Campo Grande (70), Coité do Noia (69), Porto de Pedras (65), Ouro Branco (61), Roteiro (59), Palestina (58), Tanque d´Arca (55), Santana do Mundaú (52), Olivença (41), São Brás (40), Campestre (40), Cacimbinhas (39), Jacuípe (38), Dois Riachos (38), Estrela de Alagoas (29), Monteirópolis (28), Piranhas (28), Belém (28), Olho d’Água Grande (28), Água Branca (27), Senador Rui Palmeira (27), Carneiros (27), Maravilha (22), Poço das Trincheiras (19), Pindoba (18), Chã Preta (18), Feliz Deserto (17), Jaramataia (15), Mar Vermelho (14), Jundiá (14), Belo Monte (13), Pariconha (11), Canapi (10), Mata Grande (10), Jacaré dos Homens (8), Olho d’Água do Casado (6), Minador do Negrão (6) e Inhapi (4) também contabilizaram casos. As outras 107 pessoas eram naturais de Pernambuco, Tocantins, Pará, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Paraíba, Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Santa Catarina, Maranhão, Minas Gerais, Paraná e Ceará.

Quanto aos óbitos, 700 pessoas residiam em Maceió e as outras 474 moravam em Rio Largo (41), Arapiraca (36), União dos Palmares (19), Coruripe (18), São Miguel dos Campos (18), Pilar (18), Satuba (16), Marechal Deodoro (15), São Luís do Quitunde (11), Teotônio Vilela (10), Matriz do Camaragibe (10), Palmeira dos Índios (9), Murici (9), Maragogi (9), Boca da Mata (9), Santana do Ipanema (9), Atalaia (8), Porto Calvo (8), Joaquim Gomes (7), Messias (7), Paripueira (7), Cajueiro (7), Junqueiro (7), Ibateguara (6), Maribondo (6), Passo do Camaragibe (6), Barra de Santo Antônio (6), Delmiro Gouveia (5), Batalha (5), Coqueiro Seco (5), Campo Alegre (5), Piaçabuçu (5), Paulo Jacinto (5), Jequiá da Praia (5), Penedo (4), Campestre (4), Colônia Leopoldina (4), Olho d’Água das Flores (4), Girau do Ponciano (4), Viçosa (4), Barra de São Miguel (4), Flexeiras (4), Olho d’Água Grande (3), Jundiá (3), Poço das Trincheiras (3), Lagoa da Canoa (3), Santana do Mundaú (3), Igreja Nova (3), São Sebastião (3), Santa Luzia do Norte (3), Feliz Deserto (3), Novo Lino (3), São Miguel dos Milagres (3), São José da Laje (3), Cacimbinhas (2), Major Izidoro (2), São José da Tapera (2), Senador Rui Palmeira (2), Porto Real do Colégio (2), Limoeiro de Anadia (2), Anadia (2), Piranhas (2), Ouro Branco (2), Maravilha (2), Capela (2), Japaratinga (2), Feira Grande (2), Craíbas (1), Campo Grande (1), Pão de Açúcar (1), Belém (1), Canapí (1) Tanque D´Arca (1), Pindoba (1), Jacuípe (1), Porto de Pedras (1), Quebrângulo (1), Roteiro (1), Taquarana (1), Palestina (1), e Branquinha (1). As outras sete pessoas eram naturais de Pernambuco, São Paulo, Santa Catarina e Bahia.

Fonte: GazetaWeb

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar