DestaquePenedo

Um ano após morte de Dom Valério, Diocese de Penedo segue com administrador diocesano e à espera de novo bispo

Desde o falecimento do bispo Dom Valério Breda, há um ano, a Diocese de Penedo está sem bispo e a Igreja Católica se prepara para, em breve, mesmo sem prazo estipulado, anunciar o novo substituto.

Atualmente, a Diocese de Penedo é administrada, desde junho do ano passado, pelo padre Daniel Nascimento dos Santos. Em entrevista ao Cada Minuto, ele falou sobre o período de vacância, sobre a expectativa da escolha e nomeação do novo bispo e a condução das celebrações e da própria Diocese durante a pandemia.

Segundo padre Daniel, ainda não há previsão, por parte da Igreja, para o anúncio de um novo bispo. Ele afirmou que o período de vacância é comum na instituição.

“A vacância da Diocese ocorreu devido à morte de Dom Valério. A Diocese fica vacante e à espera de um novo bispo. É um processo natural que acontece na igreja”, explicou.

Padre Daniel esclarece que uma Diocese pode ficar vacante por vários motivos, em casos de morte do bispo, devido à transferência e por questão de idade dos bispos, visto que os mesmo ao completarem 75 anos fazem o pedido de renúncia ao Papa.

Quando a Diocese fica em vacância, inicia-se o processo de nomeação de um novo bispo e um padre é nomeado para assumir a administração. “Ele assume a função de administrador diocesano e passa a tomar as decisões referentes à Diocese, devendo mantê-la seu funcionamento até a chegada novo bispo”, completou padre Daniel.

O sacerdote ressalta que a escolha de um novo bispo advém de Roma, do Papa, a partir de suas instâncias. No Brasil, a Nunciatura Apostólica, espécie de embaixada do Vaticano, no país, realiza o trabalho de consulta até se chegar a nomeação daquele que poderá ser o bispo de uma diocese

“A consulta analisar a vida do indicado de várias formas, a partir de várias óticas, enfim, a capacidade de pastoreio. A busca daquele candidato em viver conforme o ensinamento da igreja. Esse processo é feito por Roma e nós não temos nenhum acesso. É um trabalho que requer paciência, porque precisa escutar várias pessoas como outros bispos, padres, pessoas que conheçam o candidato e, diga-se de passagem, tudo é feito de forma sigilosa e nesse trabalho, nem o candidato sabe que está sendo avaliado”, conta o padre.

Entre os aspectos avaliados, segundo padre Daniel, estão: a vida pastoral, espiritual, moral e se o candidato tem uma base teológica consistente.

No dia 16 de junho de 2020, o bispo Dom Valério Breda faleceu, aos 75 anos, após dois meses internado no Hospital Artur Ramos, em Maceió, para onde foi levado depois de sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Dom Valério faleceu nos primeiros meses da pandemia no Brasil e a Diocese de Penedo, assim como todas as instituições religiosas, já tinham que se adaptar as novas restrições nas celebrações.

Segundo o administrador da Diocese, toda uma organização disciplinar, os cuidados sanitários e todo o espirito de colaboração com as autoridades sanitárias competentes do nosso estado e país continuam sendo mantidas. “Hoje a Diocese de Penedo está aberta para as celebrações, missas, casamentos e batizados. Já as atividades pastorais, catequéticas, encontros, seguem suspensas até novas determinações”, ressalta.

“A pandemia é um mal terrível, um desastre, mas nós não podemos afirmar que se trata de um acaso. Houve grandes perdas. Devemos nos questionar sobre o que podemos ler dessa pandemia? o que ela quer ensinar a humanidade? o que ela quer fazer a humanidade enxergar, que talvez não tenha enxergado? Isso é uma questão que de fato todos nós, não somente a igreja, mas todos devemos refletir à luz desses aspectos”, pontuou padre Daniel.

cadaminuto

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com