Brasil/MundoDestaque

Acostumado a dormir na mata, caçador integra equipe de buscas por Lázaro

Os homens que integram a força-tarefa que busca pelo psicopata Lázaro Barbosa, 32 anos, contam um novo reforço. Um caçador da região, que conhece muito bem as matas, grutas e córregos da região entre Girassol e Edilândia, em Goiás, ajuda na caçada ao suspeito de matar quatro pessoas da mesma família, em Ceilândia, e espalhar terror no Entorno do DF. O maníaco se esconde na região há 13 dias.

Acostumado a dormir ao relento e em meio às florestas, o homem, conhecido como Babaçu, passou a integrar uma equipe do Comando de Operações Táticas (COT) da Polícia Federal (PF) que participa das buscas. Ele teria exigido uma quantia em dinheiro caso sua participação fosse fundamental na localização do criminoso.

O caçador recebeu um colete balístico para protegê-lo durante as incursões nas matas mais fechadas. Ele também teria exigido o direito de usar uma arma durante as buscas, além de uma calça tática que proteja suas pernas. Na tarde desta segunda-feira (21/6), Babaçu já estava em companhia de uma equipe da PF que seguia em campo atrás do psicopata.

Última aparição

O Batalhão de Cães da Polícia Militar do Distrito Federal (BPCães) e a tropa de choque da polícia de Goiás se concentraram, na última sexta-feira (18/6), em uma área de mata de Girassol, no Entorno do DF, para tentar localizar rastros de Lázaro Barbosa de Sousa. Foi a última vez que as equipes tiveram informação sobre a presença do maníaco.

A força-tarefa teve início após um morador da região avistar o suspeito. “O vizinho viu o Lázaro entrando no bananal e, em seguida, a polícia chegou. Minha casa está toda revirada… Porta quebrada, roupas e guarda-roupas revirados. Um queijo foi levado”, afirmou um produtor rural da região.

“Estamos com muito medo agora. Moramos aqui há 20 anos. Vivíamos tranquilos antes disso. A gente espera solução todo dia, reza, pede a Deus que este caso seja resolvido logo. A gente quer justiça. Isso tira o sono”, disse Sebastiana Aparecida Rodrigues, 65 anos. Da casa dela, foi levado um carregador de celular.

Metrópoles 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com