Maurício Souza, do vôlei, é afastado pelo Minas após caso de homofobia

Após pressão do patrocinadores, o Minas Tênis Clube decidiu afastar Maurício Souza depois do jogador fazer uma publicação homofóbica no Dia das Crianças. O atleta ainda não sabe da definição da diretoria e poderá se retratar publicamente para continuar no time.

Mauricio-Souza-1.webp – Foto: Reprodução

O blog Olhar Olímpico explicou que o afastamento não é definitivo pois o clube está dividido. Ao mesmo tempo que há uma cobrança por parte dos torcedores e patrocinadores, o restante dos atletas defendem Maurício e não querem ele fora do time.

A publicação do jornalista Demétrio Vecchioli destacou uma carta do levantador e capitão do time, William Arjona, à diretoria, na qual diz que todo o elenco, incluindo o líbero Maique, que é homossexual, defende o direito de “liberdade de expressão” de Maurício. Os jogadores ameaçam deixar o Minas se o central for demitido.

Nesta terça-feira (26/10), a Fiat soltou um comunicado oficial cobrando “medidas cabíveis” sobre o ocorrido. “Em relação às recentes declarações do jogador Maurício Souza, da equipe de vôlei Fiat Minas Gerdau, a Fiat declara seu repúdio a toda e qualquer expressão de cunho homofóbico, considerando inaceitáveis as manifestações movidas por preconceito, ímpeto desrespeitoso ou excludente”, destacou a empresa.

Metrópoles

.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo