Justiça autoriza liberação da ossada de Roberta Dias para sepultamento

 

 

O juiz Nelson Fernando de Medeiros Martins, titular da 4ª Vara Criminal de Penedo, autorizou durante audiência realizada nesta na manhã desta terça-feira (26), que o Instituto Médico Legal (IML) disponibilize à família de Roberta Costa Dias os restos mortais identificados como sendo da jovem que foi assassinada em abril de 2012.

A audiência foi marcada para o interrogatório dos réus Karlo Bruno Pereira Tavares e Mary Jane Araújo Santos, que seriam ouvidos pela primeira vez desde que foram denunciados por homicídio duplamente qualificado (motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima); ocultação de cadáver e aborto provocado por terceiro.

No entanto, logo após a abertura dos trabalhos, o promotor de Justiça, que, no caso, é o responsável pela acusação, declarou que pretendia fazer o aditamento da denúncia para acrescentar novos fatos que surgiram no decorrer da instrução, sem que houvesse manifestação contrária dos advogados. Com isso, os interrogatórios dos réus foram suspensos.

O promotor de justiça fez o aditamento da acusação oralmente em audiência, pelo que o juiz determinou que a Secretaria do Juízo providencie a de gravação dos termos do aditamento no prazo de dez dias, após o que os defensores constituídos deverão ser intimados para que se manifestem no prazo comum de cinco dias.

A audiência foi realizada de forma presencial e também por videoconferência por conta das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus.

Populares encontraram no dia 18 de abril um crânio em um areal da praia do povoado. Três dias depois, em 21 de abril, sabendo do achado, a família da jovem resolveu fazer buscar na mesma região e encontrou parte de um esqueleto humano.

Como foi levantada a suspeita de que esses ossos seriam da estudante Roberta Dias, o setor de DNA do Instituto de Medicina Legal de Arapiraca enviou ao Laboratório Genética do IC amostras de fragmentos de ossos e dentes para o exame de DNA.  Após, a extração do perfil genético desse material, a perita criminal realizou o confronto genético com o material biológico da mãe de Roberta, a senhora Mônica Costa.

cadaminuto

.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo