Se todos fossem iguais antes, durante e depois das eleições

Verdade o novo rumo político, mesmo cheio de desconfiança nas quatro linhas, Alagoas deve retomar o jogo. E projetar o futuro, cheio  de curvas abertas com os obstáculos causados pelos desacertos de Brasília. Em nome do caminho sem perigo das gerações que vem ai, os erros podem  ser arquivados no congelador, mas nunca esquecidos da história.

Vão-se conhecer, na prática, os políticos que, nos palanques, buscando o voto, prometem o céu e a terra a massa de manobra, dos que estão em cima do muro retornar à planície  e provar que vão  transformar a água  no vinho. Quem está lá, faixa no peito, assume compromisso com as ruas e ficam obrigados a prestar contas, ao vivo, o que fazem.

Divisão mesmo, aqui, só nas campanhas quando todos lutam pelo passaporte para mo poder. Alagoas e seu povo agradeceriam se, fora das eleições, forças políticas andassem pelo caminho, de braços dados. Tomaria outra reação com Artur Lira, JHC, Fernando Collor, Marcelo Victor , Renan Filho e Renato Filho falando a mesma linguagem.

Coluna José Elias C/ Flora Guimarães ( Gazeta de Alagoas)

.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo