Criança de dois anos, vítima de estupro de vulnerável transmitido ao vivo, segue desaparecida

O menino de dois anos, que aparece ao lado de dois homens durante ato sexual em um vídeo transmitido ao vivo na última segunda-feira (08), em Teotonio Vilela, continua desaparecido, segundo informações do Conselho Tutelar do município.

A criança foi levada pelos pais, que fugiram da cidade durante a operação policial que prendeu seis pessoas que aparecem nas imagens. Cinco delas tiveram a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva por estupro de vulnerável.

De acordo com o conselheiro tutelar Claudemir Calixto, na manhã da terça-feira quando as polícias efetuaram as prisões, o Conselho havia acionado um abrigo para receber a criança temporariamente, uma vez que, além dos pais, a avó da criança também foi alvo da operação policial.

A avó da vítima foi presa, mas foi liberada após a audiência de custódia. Ela continua a responder a inquérito policial sobre envolvimento no caso.

Relembre

Os moradores de Teotonio Vilela ficaram chocados, na noite de segunda-feira (08), durante uma live transmitida ao vivo por um dos envolvidos, que mostrava uma farra na residência da avó da criança.

Em alguns momentos, a live mostra o menino deitado na cama e ao lado dele dois homens durante sexo oral. Várias pessoas denunciaram o caso ao Conselho Tutelar e ajudaram na localização do endereço onde as imagens foram gravadas e na identificação dos envolvidos.

O vídeo foi retirado do ar e pouco depois, dois dos envolvidos chegaram a gravar vídeos pedindo desculpas e se defendendo das acusações.

Na manhã seguinte, a partir da denúncia e informações do Conselho Tutelar, as polícias Civil e Militar e Guarda Municipal efetuaram as prisões de seis dos envolvidos. Os pais do menino – que estavam na mesma residência quando o crime aconteceu – conseguiram fugir levando a criança.

.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo