Caso de menina espancada em São Miguel dos Campos, AL, passa a ser investigado como homicídio

A juíza plantonista Juliana Batistela, que decretou a prisão do pai e da madrasta da menina de 5 anos brutalmente espancada em São Miguel dos Campos, disse que o caso passa a ser investigado agora como homicídio. O casal foi preso pelo crime de maus-tratos na modalidade abandono, mas com a morte da criança na terça-feira (19), o crime passa a ser investigado também como homicídio.

 

Allexia Sophia estava internada no Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu à gravidade das lesões. Ela deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Miguel dos Campos no sábado (16) e em seguida, foi transferida para Maceió.

O pai e a madrasta alegaram que a menina havia caído no banheiro, mas a equipe médica de plantão constatou que a criança tinha vários hematomas pelo corpo e percebeu contradições nos relatos do pai e da madrasta. A menina foi intubada e encaminhada em estado gravíssimo para o HGE.

De acordo com o delegado que investiga o crime, testemunhas começaram a ser ouvidas na terça (19).

Segundo a juíza Juliana Batistela, a madrasta vai responder por homicídio, já que teria sido ela a autora do espancamento que resultou na morte da criança, mas ainda não é possível dizer se o mesmo crime será imputado ao pai. Há essa possibilidade porque testemunhas contaram que ele também agredia a filha e sabia que a madrasta fazia o mesmo. “Acho que vai ficar [enquadrado no crime de] maus-tratos, mas daí vai ser a instrução processual quem vai dizer”.

O processo foi encaminhado para a Vara Criminal de São Miguel dos Campos, aos cuidados da juíza Laila Kerckhoff.

Por g1 AL

.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo