UPA de Penedo tem aumento nos atendimentos por falta de médicos em unidades básicas

03/06/2019 às 20h21min – Atualizada em 03/06/2019 às 20h21min

UPA de Penedo tem aumento nos atendimentos por falta de médicos em unidades básicas

619 admissões foram por causas clínicas

Da Redação – Com Peterson Almeida
Peterson Almeida

Com um total de 622 atendimentos durante o final de semana entre a sexta-feira (31/05) e o domingo (02/06) a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da histórica cidade de Penedo, que atende os casos de urgência e emergência do Baixo São Francisco alagoano, registrou mais uma estatística acima do número médio que antes do afastamento dos profissionais do Programa Mais Médicos era registrada.

Neste final de semana, entre os casos de pacientes atendidos pela unidade hospitalar, 619 admissões foram por causas clínicas enquanto que os demais casos ficaram com 02 atendimentos a vítimas de acidente de trânsito e um caso isolado com o paciente sendo encaminhado para atendimento por causa externa [trauma não especificado].

Após contato com a enfermeira Camylla Ataíde Rezende, diretora da UPA, a reportagem do Portal NN1 obteve a informação de que o número de atendimentos está acima do que normalmente era realizado mesmo durante dias de meio de semana, e a razão do aumento na demanda está na falta de médicos nos Postos e Unidades Básicas de Saúde do município na zona urbana e rural.

“Os números são claros, aumentou a demanda e isso é fato. Antes não tínhamos tanto paciente buscando o atendimento na UPA para casos clínicos na quantidade que estamos registrando atualmente, e nas situações que levavam a população dos povoados até seus respectivos postos hoje já é hábito vir direto para a unidade em virtude de lá não ter médico.” Informou Cammyla Ataíde.

Perguntada sobre o que tem sido feito para solucionar, ou amenizar, a situação do aumento na demanda com as médias de atendimento acima do que antes era registrado, a enfermeira mencionou que a Secretaria de Saúde por meio de setor específico tem agido nesse intuito.

“A Atenção Básica montou uma estratégia para colocar médicos nestas unidades que estão sem atendimento diário, o que antes elas tinham. Está sendo feito rodízios com profissionais trabalhando um ou dois dias, pelo menos para pacientes crônicos. O objetivo é minimizar ao máximo a falta de atendimento nas localidades para que a população não sinta com a falta de atendimento.” – Complementou Camylla.

Já em contato com a Assistente Social Monike Souza Nunes Damasceno, Coordenadora da Atenção Básica, a reportagem apurou que um número alarmante de milhares de pessoas estão desassistidas em todo o município penedense por conta da falta de médico em 06 unidades.

“Temos unidade de saúde que alcança o número de mais de 3 mil pessoas sem atendimento médico e no total geral são praticamente 19 mil pacientes que não estão recebendo a devida atenção. São cinco unidades no interior e uma unidade dentro da cidade, que é a do bairro Senhor do Bonfim. Estamos tentando contratar um médico para esta unidade por não ser atendida pelo Programa Mais Médicos, que é o caso das demais”. – Relatou Monike.

Com relação à previsão para a chegada dos profissionais do Programa Mais Médicos, Monike Damasceno disse já ter sido lançado o edital e de acordo com o Ministério da Saúde espera-se que ainda no mês de junho sejam supridas as carências deixadas nas unidades do interior.

“De acordo com o cronograma do Ministério da Saúde, até o final do mês poderá acontecer de novos profissionais chegarem para ocupar as lacunas deixadas, mas sabemos que é preciso que médicos tenham feito opção para Penedo, e isso acreditamos que tenha acontecido.” Salientou a coordenadora.

Números anteriores

Em entrevista com o Secretário Municipal de Saúde, Pedro Madeiro, no mês de fevereiro, o Portal NN1 obteve a informação de que inicialmente a queda no número de profissionais médicos afetou apenas duas unidades, na zona rural, mas que o problema seria agravado no mês seguinte.

“Hoje [à época] estamos com uma deficiência de duas unidades na zona rural sem médico, e já no início de março essa situação será ampliada com mais outros dois profissionais deixando unidades do interior, o que vai aumentar o problema de atendimento para atendimentos básicos.”

Em quatro meses a deficiência no atendimento básico de saúde no município ribeirinho de Penedo triplicou em face da falta dos médicos, o que tem dificultado a situação de pessoas que sem condição de se deslocarem para a cidade ficam à espera de atendimento o que provoca, em alguns casos, o agravo da situação no quadro de saúde do paciente não atendido em tempo hábil.

Nn1

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com