Política

Renan visita Lula na sede da PF e diz que ex-presidente é preso político

r Renan Calheiros (MDB) esteve entre os integrantes da Comissão de Constituição e Justiça do Senado que visitou, na tarde desta terça-feira (17), o ex-presidente Lula na sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Na oportunidade, Renan disse que Lula está “animado e convicto de que vai provar sua inocência”. Em conversa com a imprensa, o senador também defendeu que o MDB respeite sua história e não figure como partido de “barriga de aluguel” ao lançar o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, à Presidência da República.

A visita da comissão tem como objetivo, ao menos em tese, verificar as condições da carceragem da superintendência, fiscalizando o tratamento ofertado aos políticos que lá se encontram presos. Para Renan Calheiros, Lula segue otimista e confiante de que vai reverter o cenário atual. Calheiros, inclusive, voltou a defender que o caso do petista seja revisto o quanto antes pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“Lula está muito animando e convencido de que vai provar, sim, sua inocência, já que não há provas e nem materialidade dos supostos crimes cometidos. O que há é convicção. Todo esse processo foi conduzido de forma apressada, com o objetivo de impactar na pré-candidatura dele à Presidência. Todo este cenário reforça a nossa crença de que a prisão é política. Por tudo isso é que o ex-presidente só cresce em todas as pesquisas”, analisou.

Ainda de acordo com Renan Calheiros, a prisão de Lula, além de ser ilegal, vai de encontro a dispositivos da Constituição Federal. Na visão do senador, o STF disciplinou que alguns réus condenados em segunda instância podem ser presos para o cumprimento imediato da pena após o esgotamento de todos os recursos nesta esfera judicial, sendo que esta regra, segundo Calheiros, não deveria ser aplicada ao petista. “Externei a minha solidariedade ao Lula. Este processo não está seguindo o rito da legalidade. Não há provas contra ele, apenas convicção”, reforçou o parlamentar.

Candidatura à presidência

À imprensa, o senador garantiu apoiar o ex-presidente à Presidência da República. O parlamentar analisou o quadro nacional e a pretensão de o ex-ministro Henrique Meirelles sair candidato na disputa presidencial. Para o senador, o MDB não deveria apostar no ex-ministro da Fazenda, pois, no tempo em que é filiado ao partido, Renan diz nunca ter encontrado Meirelles para debater assuntos da legenda.

Ao deixar a superintendência da PF, Renan defendeu, ainda, que o MDB concentre-se nas eleições proporcionais e majoritárias nos estados, como em 2006.

“O MDB não pode entregar a sigla para Meirelles e transformar o MDB em um partido de aluguel. Apesar de todas as dificuldades, temos que nos preocupar, agora, em reconstruir o MDB após o governo tenebroso de Michel Temer. O partido tem bons governadores, a exemplo do de Alagoas, que vem dando uma virada fiscal histórica. Não podemos permitir que gestores bem avaliados subam no palanque de Meirelles. Ele tem 1% das intenções de voto. Diante de tudo isso é que defendo que não tenhamos candidatura à Presidência da República, focando em outras candidaturas”.

GazetaWeb

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar