Fabio Andrey

QUANTO MAIS MEXE, MAIS PODRE FICA

A prisão, agora domiciliar, de Fabrício Queiroz trouxe à tona uma série de fatos que comprovam cada vez mais suas ações nebulosas, pra não dizer criminosas. A PC carioca teve aberto um inquérito para investigar a morte do estudante Anderson Rosa de Souza, 29 anos na Cidade de Deus. Queiroz e Adriano registraram o caso como um revide de ataques, no entanto a investigação vem recheada de irregularidades, inclusive as únicas pessoas ouvidas foram os dois “anjos” em tela. O MP do Rio de janeiro quer retomar as investigações. Justiça seja feita.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar