AlagoasDestaque

Prefeitura de Maceió vai usar verba do leilão do pré-sal para infraestrutura

A Prefeitura de Maceió informou que os R$ 22,7 milhões provenientes do leilão dos excedentes da cessão onerosa do pré-sal já têm destino certo. O recurso será investido em obras de infraestrutura e vai incrementar o programa Nova Maceió, que já está em execução. Já a Prefeitura de Arapiraca comunicou que ainda faz estudos para definir quais áreas da gestão serão contempladas.

“Vamos usar esses recursos em mais obras de infraestrutura, somando mais investimentos na Nova Maceió. A mobilidade urbana, melhorando os corredores de transporte, será uma das prioridades. Além disso, investiremos também na previdência municipal”, declarou o prefeito Rui Palmeira (PSDB).

Deste resultado da cessão, Maceió será o município de Alagoas que mais receberá recursos. Arapiraca é o segundo que mais será beneficiado. Para a capital do Agreste, estão previstos R$ 5,2 milhões. Mesmo assim, o prefeito Rogério Teófilo (PSDB) informou que não definiu a destinação, mas adiantou que a equipe estuda uma aplicação justa. “Ainda estamos realizando levantamentos na Prefeitura de Arapiraca para decidir em quais áreas os recursos serão investidos. Queremos utilizá-los da forma mais justa possível”.

Collor votou “sim” pela divisão da verba do pré-sal e dos investimentos das prefeituras

FOTO: ASSESSORIA

Antes de os recursos chegarem aos cofres da prefeitura, a proposta precisou ser discutida e aprovada no Congresso. No Senado, o senador Fernando Collor (Pros) votou favorável ao projeto de lei, destinando aos municípios 15% do que foi arrecadado com o leilão do pré-sal.

O voto “sim” de Collor reforçou seu compromisso histórico com o municipalismo, garantindo, assim, recursos considerados “extraordinários” para investimentos de prefeituras nas mais diversas áreas.

Durante a tramitação da proposta, Collor recebeu e acolheu as manifestações de integrantes da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA). Collor era o único senador da bancada alagoana que estava em plenário durante a votação da proposta na Casa.

RECOMENDAÇÃO DA AMA

O presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), Hugo Wanderley, explicou a destinação dos recursos do pré-sal é uma decisão de cada gestor, dependendo da necessidade do município. “Pela lei, as prefeituras vão poder fazer investimentos, que são obras, ou aportar para os fundos de previdência. São essas duas condições que se tem vinculações para o recurso”, destaca.

Ele acrescenta que a grande maioria dos municípios que têm previdência privada hoje já faz aportes para os fundos de previdência. Algumas até inviabilizadas por conta do fundo de previdência e todo mês tem que cortar para pagar o salário dos servidores.

“Estas, com certeza, farão isso para manter o equilíbrio no fundo e, com isso, naturalmente, também terão um fôlego executar outros serviços básicos, como alguma obra desejada pela população e que seja necessária”.

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) também emitiu uma série de recomendações para os gestores sobre como as prefeituras podem distribuir estes recursos. Os municípios poderão pagar aquelas despesas com dívidas previdenciárias tanto do Regime Próprio de Previdência social (RPPS) quanto do Regime Geral de Previdência (RGP), corrente ou decorrente de parcelamentos.

A outra forma de uso da cessão onerosa é com despesas de investimento, entendidas como aqueles gastos com despesa de capital, como as que se relacionam com a aquisição de máquinas ou equipamentos, a realização de obras, a aquisição de participações acionárias de empresas, a aquisição de imóveis ou veículos, ou seja, as que geram um bem de capital que possa ser incorporado pelo Município.

gazetaweb

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar