Família inicia campanha por cirurgia para arapiraquense acidentado

Um arapiraquense, estudante de Engenharia Civil em São Paulo, está internado em hospital do Agreste de Alagoas à espera de uma cirurgia que possa contribuir com a sua reabilitação. O procedimento está orçado em R$ 20 mil. Para a família, o município de Arapiraca alegou não ter condições de arcar com o valor, porém, uma determinação da justiça pode diminuir os custos do procedimento médico.

José Ronaldo Lino, de 31 anos, está internado há três meses no Hospital Chama [que realiza procedimentos pelo Serviço Único de Saúde] e a situação é grave. Ele teve a coluna fraturada e uma vértebra do pescoço quebrada. Ronaldo está imóvel desde então, porém consciente.

A gravidade do seu estado de saúde é em decorrência de um acidente automobilístico, ocorrido no dia 6 de janeiro deste ano, justo no último dia de férias do arapiraquense em Alagoas. No dia seguinte, ele voltaria a São Paulo para dar continuidade aos seus estudos e trabalho.

Segundo depoimento da família, a cada dia que se passa o quadro de saúde do arapiraquense se agrava ainda mais. “Ele emagreceu demais. Está consciente, mas está imobilizado, só consegue mexer os braços. Esta cirurgia é a esperança da família”, disse Renata Nascimento, familiar do Ronaldo.

A família disse, ainda, que já têm mais de 30 dias que entrou com o pedido de amparo na Justiça para que o município de Arapiraca arque com os custos, porém, até então, não tiveram nenhum posicionamento.

RESPOSTA DA PREFEITURA DE ARAPIRACA

A Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria Municipal de Saúde, informa que, em fevereiro deste ano, recebeu  a informação do Hospital Chama,  um dos prestadores do Município, que  o material utilizado para cirurgia de Traumatismo Raque Medular (TRM) teria a entrega cancelada pelo fornecedor, que justificou a medida em decorrência da defasagem do valor estabelecido na tabela SUS. E, dessa forma, não seria possível a realização de procedimento cirúrgico.

Desde então, a Secretaria de Saúde tem reunido as partes para resolver o problema. E adianta que há cinco pacientes que aguardam o agendamento da respectiva  cirurgia.

Após a última reunião com a administração do Hospital Chama, ficou definido o prazo de até esta sexta-feira (15)  para  se posicionar. Entre as opções para a resolução do problema está a compra do material pelo hospital, com repasse do município, dentro do valor estabelecido na tabela SUS.

 

gazetaweb

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com