Brasil/MundoDestaque

Com mais de 200 mortes por covid em AL, Ministério Público lança campanha #TodaVidaVale

“Meu pai morreu no dia 10 de maio. Colocaram ele dentro de um saco, depois num caixão e o enterram. Não tivemos chance de despedida. E nem de receber um abraço de conforto de familiares e amigos. Isso tudo é muito assustador”. Essa foi a realidade vivida pela servidora pública Lucina Medeiros, que perdeu o pai, recentemente, vítima da Covid-19. E, assim como ela, milhares de famílias no Brasil inteiro, e pelo menos 210 aqui em Alagoas, também enfrentam o mesmo drama em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus. Por isso, pensando em conscientizar ainda mais a população sobre a gravidade dessa doença, o Ministério Público Estadual de Alagoas (MPAL) lança, nesta terça-feira (19), a campanha #TodaVidaVale.

A campanha conta com comerciais de rádio e TV e vídeos para as redes sociais do Ministério Públicos no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube. “Nós queremos chamar a atenção das pessoas sobre o quanto esse vírus é contagioso e a necessidade urgente de que todos nós cumpramos as medidas adotadas pelos governos municipais e estadual para o enfrentamento à Covid-19. Somente em Alagoas, os casos confirmados passam dos 4 mil, com mais de 220 pessoas que perderam a vida porque foram infectadas pelo novo coronavírus”, afirmou o procurador-geral de justiça, Márcio Roberto Tenório de Albuquerque.

Nossa orientação é para que todo cidadão só saia às ruas para trabalhar ou em caso de extrema necessidade, como comprar comida e remédio ou ir ao médico. É preciso que todos nós nos projetamos e cuidemos de nossas famílias, afinal, o vírus mata, e o Ministério Público, claro, defende a vida”, acrescentou ele.

Assista ao vídeo da campanha

O conteúdo da campanha

Durante todo este mês de maio, os comerciais serão veiculados nas principais emissoras de TV de Alagoas, assim como nas rádios. Além disso, diariamente, nas redes sociais do Ministério Público serão compartilhados vídeos que contam histórias de vítimas do novo coronavírus e de familiares que sofrem com a perda de algum parente ou que estão com pessoas próximas internadas.

A Julliane Santana é uma das personagens da campanha. Ela perdeu a avó e a tia na mesma semana. “Tivemos que enterrar as duas quase que de uma só vez. Foi muito triste. Só quem perde, sabe a dor de viver uma situação como essa. Por isso, não subestimem a doença. Usem máscaras e, se puderem, fiquem em casa”, recomendou ela.

Mirlane Santos também sofre com a morte do pai. “Ele ficou internado numa UPA e faleceu apenas dois dias depois porque nem o oxigênio vindo do respirador artificial resolveu. Essa doença é muito agressiva e chega devastando os pulmões do paciente. Não brinquem com ela. E respeitem a dor das famílias porque, aquelas pessoas que estão partindo, eram amores de outras pessoas”, declarou.

O médico cirurgião e vereador por Maceió, Kléber Costa, também integra a campanha do Ministério Público. Ele está infectado pelo novo coronavírus. “As UTIs dos hospitais públicos e privados estão ficando superlotadas por pessoas que se contaminaram com a Covid-19. E os demais pacientes que sofrem com outras doenças? A eles, só posso dizer uma coisa: que Deus os proteja”, disse.

Com a palavra, os profissionais da linha de frente

A #TodaVidaVale traz ainda depoimentos de profissionais da área de saúde, com contribuições importantes dadas por autoridades do Samu Alagoas, do Hospital Escola Dr. Helvio Auto, do Hospital Universitário e da Unimed Maceió.

Josileide Costa, supervisora geral do Samu Alagoas, disse que o número de ligações para o 192 cresceram assustadoramente. “Elas aumentaram em 1.488% e são somente relacionadas ao novo coronavírus”, revelou ela.

A gerente-médica do Hospital Escola Dr. Helvio Auto, Luciana Pacheco, também é personagem da campanha e falou sobre o poder de contaminação do vírus: “Um cidadão infectado pode transmitir o novo coronavírus, em média, para outras três pessoas. Ou seja, a doença tem um alto grau de contágio. E a gente tem que alertar a população que não há leitos suficientes para todo mundo. Por isso, é necessário que cada um faça a sua parte”, recomendou a infectologista.

No Hospital Universitário a realidade igualmente é de lotação. “Abrimos 38 novos leitos de UTI e de unidades semi-intensivas, mas, ainda assim, ainda não conseguimos dar conta da demanda. A toda hora chegam pacientes graves vindos das UPAs e do Hospital Geral do Estado (HGE) que necessitam de cuidados urgentes e, para tratá-los diante de seus quadros clínicos, há um grande contingente de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, farmacêuticos e pessoal de apoio envolvidos. O trabalho é extenuante”, explicou Francisco Costa, gerente de Atenção à Saúde do HU.

E na rede privada a situação não é diferente. O diretor operacional da Unimed Maceió, Rafael Kennedy, que também é voluntário da #TodaVidaVale, afirmou que a cooperativa está adotando todos os protocolos recomendados pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial de Saúde. Mas, lembrou que a sociedade tem que dar a sua contribuição no combate à Covid-19. “O vírus chegou e, sem negociar com ninguém, quebrou a economia, a educação e, principalmente, o sistema de saúde no mundo inteiro. Como enfrentar um inimigo que não conhecemos bem? A ciência tem muitas perguntas e poucas respostas. A vida é o nosso bem mais precioso e, por este motivo, temos, cada um, que ter consciência dos nossos atos. O isolamento social é importante neste momento”, garantiu o médico.

TNH1

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar