Federação partidária deve atrapalhar palanques em Alagoas

A federação partidária consiste na união de dois ou mais partidos para atuarem como se fossem um só, com estatuto e programa comuns, registrados no TSE. O problema é que as articulações são em âmbito nacional, o que atrapalha o xadrez político nos estados.

Um exemplo disso é o PSD de Gilberto Kassab, que se articula com o PT de Lula. O partido dos trabalhadores continua em conversa. Em Alagoas, temos Marx Beltrão, como nome da sigla, que está apoiando o Governo Federal, de Jair Bolsonaro (PL). Caso a aliança se confirme, como ficaria a situação do deputado federal?

O mesmo ocorre com o PSB. O PT abriu mão da candidatura ao Governo de Pernambuco, para apoiar o candidato da outra sigla. O nome atual do partido em Alagoas, é o prefeito de Maceió, João Henrique Caldas, que caso siga o partido deverá dividir o palanque de acordo com a determinação do PSB.

Assim também ocorre com o MDB. Sabe-se que a sigla quer lançar candidatura própria, apesar de negociar com o PSDB uma federação. Mas em Alagoas, Renan Calheiros e Renan Filho já deixaram claro o apoio a Lula.

Por 7Segundos

.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo