Vereador Nelsinho aproveitou bem seu tempo na última sessão da Câmara Municipal de Penedo

Um dos temas mais debatidos pelos os Vereadores  na última sessão ordinária da Câmara Municipal de Penedo realizada nesta quinta-feira(04), foi  a questão do veto por parte da COOTRANSPE da gratuidade  por parte dos portadores de  deficiência nos finais de semana nos transportes  coletivos  da cidade de Penedo, o que  eles consideraram um absurdo,  uma  falta de respeito e desumanidade  para com essas pessoas especiais.

O Vereado Nelsinho  Azevedo um dos mais atuantes e  combatíveis daquela casa , usou o espaço do seu tempo para  entrar com um requerimento na mesa diretora pedindo que fosse submetido a  votação do plenário suspendendo tal  medida administrativa e, a imediata retirada por parte da COOTRANSPE e da SMTT dos comunicados  afixados  nos  ônibus alegando a irregularidade do Decreto o qual  se  baseiam para tal medida,  quando teve a aprovação de todos os pares.

Por outro lado, o parlamentar mirim, aproveitou  parte da fala do Vereador Fagner Matias para endossar o seu discurso quando o assunto discutido era a não inclusão e o veto para recebimento de qualquer subvenção por parte  do Sport Club Penedense  clube mais tradicional da cidade no projeto da LDO ( Lei de Diretrizes Orçamentária) enviada pela municipalidade coisa nunca acontecida antes, o que ele de forma eloquente e veemente  repudiou .

Em seguida e para finalizar, ele fez um apelo ao Presidente  da Casa Marcelo Pereira pedindo para que fosse criado uma comissão parlamentar entre ele, Fagner Matias e um terceiro edil para  conduzir os trabalhos da audiência pública, marcada para o dia 8 de agosto naquela casa  objetivando  discutir a questão de cursos  irregulares ofertados  por algumas Faculdades privadas na cidade de Penedo. Na oportunidade, Nelsinho  solicitou de forma respeitosa que o Presidente passagem a condução dos trabalhos desse dia para ele, já que foi o mesmo que  requereu tal audiência pública e seria mais que justo ser  presidida por ele mas, foi em vão o pedido e não  só Nelsinho como outros Vereadores criticaram duramente a postura do Presidente Marcelinho Pereira taxando de ditatorial, quando  sequer aceitou entrar o requerimento em votação.

 

Geraldo José

 

.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo