“Os protagonistas são os jogadores”, diz Marcelo Cabo, após acesso à Série A

O CSA estará na Série A do Campeonato Brasileiro em 2019. A vaga do Azulão veio após golear o Juventude por 4×0, em Caxias do Sul, neste sábado (24). Na entrevista coletiva em solo gaúcho, o técnico Marcelo Cabo agradeceu à direção do clube pela confiança em seu trabalho e colocou os jogadores como os grandes responsáveis pela conquista maruja.

– Eu queria agradecer aos presidentes Rafael Tenório e Raimundo Tavares, além de toda diretoria do CSA por ter confiando em mim. Nós conseguimos no clube ganhar um título que não vinha a dez anos, além de colocá-lo na Copa do Brasil e na Copa do Nordeste. Daí você chega no final e fecha com a cereja do bolo que é o acesso para torcida, é muito gratificante. Mas, acima de tudo, eu só queria dizer que os maiores protagonistas disso tudo são os jogadores que, sempre me ouviram, me respeitaram e nunca deixaram de dar algo a mais para conseguir o objetivo.

Cabo lembrou do momento em que desembarcou em Maceió para fechar com o Azulão, onde na oportunidade, muitos torcedores questionavam sua capacidade.

– Foi um momento épico na história do CSA. Quero agradecer a minha família, porque vocês sabem que na minha chegada a Maceió eu e todos eles fomos humilhados por algumas circunstâncias. Mas a palavra de Deus diz que os humilhados serão exaltados.E eu tive a capacidade de ficar calado e trabalhar. Tenho uma frase comigo que diz: o tempo é o senhor da razão. Então, a gente termina o ano dessa maneira maravilhosa e, por isso, quero dedicar esse acesso a essa torcida maravilhosa que, sempre e nos apoiou. Portanto, o maior presente que eu poderia dar a ela é a Série A ano que vem.

O comandante marujo também explicou a escolha pelo atacante Neto Berola, autor de três dos quatro gols marcados pelo Azulão nesta tarde.

– Eu acho que o jogo foi muito difícil, principalmente no primeiro tempo, pelas circunstâncias do campo onde tivemos que nos adaptar. Conseguimos achar um gol de bola parada que nos deu tranquilidade e pude baixar a linha. A partir daí ficou um jogo de transição. Então, eu entendi que precisávamos de velocidade e resolvi tirar o Walter e colocar o Neto [Berola]. Posso dizer que hoje o treinador foi um burro com sorte. Trocou e a bola entrou.

Questionado sobre o sentimento de dever cumprido, Cabo respondeu assim.

– O nosso acesso é coroado com 34 rodadas no G4 e várias na vice-liderança. Não sei se o futebol tem justiça ou injustiça, mas com os nossos números a gente coroa uma campanha regular dentro de uma difícil competição. No planejamento da Série B eu avisei que era necessário aprender a jogar pontos corridos e saber perder. O CSA tinha um planejamento de tentar o acesso em cinco anos e conseguimos no primeiro. Nós criamos metas e cumprimos todas elas, desde a permanência. Eu acho que a gente consolidou hoje com essa bela atuação um final de campeonato onde o CSA mereceu muito ir para Série A.

GazetaWeb

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com