Senado: Marx Beltrão tenta viabilizar sua candidatura em rota de colisão com os Calheiros

Dos postulantes às duas cadeiras de Senado Federal nestas eleições de 2018, quem maisseencontra em dificuldades para viabilizar a candidatura é o ex-ministro do Turismo e deputado federal, Marx Beltrão (PSD). Beltrão – que até pouco tempo esteve no MDB do governador Renan Filho e do senador Renan Calheiros – tem um partido em mãos e só depende dele, mas a questão central é conseguir formatar um pequeno grupo que viabilize as condições de vitória.

Desde que apresentou seu plano de ser pré-candidato ao Senado Federal, Marx Beltrão teve arestas com o MDB que tinha e tem como foco a candidatura de Renan Calheiros à reeleição. As arestas ficaram nos bastidores, já que na “versão oficial”, o MDB chegou a divulgar nota garantindo a vaga da candidatura a Marx Beltrão. Mas, nunca foi do desejo de Renan Calheiros ou de Renan Filho tê-lo na chapa disputando esteespaço. São vários os motivos. Entre eles, a possibilidade de Beltrão ter vida própria e representar um futuro adversário.

Assim, os caminhos para Marx Beltrão foram se fechando. Sabendo disso, o pré-candidato ao Senado pelo PSD chegou a conversar com a oposição liderada pelos tucanos, mas com a desistência do prefeito Rui Palmeira (PSDB) de disputar o governo do Estado, a aliança não saiu. A “gota d’água” foi a ida do exministro dos Transportes e também deputado federal, Maurício Quintella Lessa (PR) para a chapa do MDB. Quintella passou a ser o segundo candidato ao Senado pelo grupo de Renan Filho que, até aqui, tem um caminho fácil para a reeleição.

Beltrão teve que deixar o MDB e ir para o PSD, um partido que já era controlado por ele. Mas – de forma solitária – não quis romper com os Calheiros e até ofereceu a possibilidade de uma “aliança branca”, em que ele seria um terceiro nome ao Senado Federal com o apoio do Executivo estadual ainda que oficialmente não estivesse na chapa.  Uma candidatura avulsa. A proposta de Beltrão foi rejeitada por Renan Filho e por Renan Calheiros. O governador até chegou a pedir, conforme informações de bastidores, que Beltrão entregasse os cargos que possui no Executivo. O clima esquentou.

CONSTRUÇÃO DA CANDIDATURA

Agora, Marx Beltrão tenta construir sua candidatura em uma rota de colisão com o senador Renan Calheiros e com o governador de Alagoas. Sem muitas alternativas, Beltrão iniciou tratativas com o senador Fernando Collor de Mello (PTC), que é candidato à presidência da República.

Mas, Collor também busca diálogos com Renan Calheiros. Collor quer armar um xadrez pensando em sua reeleição que será disputada apenas em 2022. É que o senador do PTC, acertadamente, enxerga que pode ter Renan Filho como rival na disputa de uma única cadeira de senador da República.

Por isso, o diálogo com os Calheiros, para que Collor seja de alguma forma contemplado nesse processo. Se haverá entendimento ou não é outra história.

cadaminuto

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com