Prefeitura de Penedo, IPHAN, Ufal e Universidade de Évora assinam carta para instituir programas de cooperação técnica

Países querem ampliar os estudos e a preservação dos patrimônios material e imaterial das duas cidades históricas

Por: Roberto Miranda – Jornalista diplomado – (MTE/AL – 1331)

Cidade de Évora – Encerrando sua agenda em Portugal, o prefeito de Penedo, Marcius Beltrão (PDT), esteve reunido nesta quarta-feira, 04, com diretores da Universidade de Évora, membros da Câmara de Governo e com o superintende em Alagoas do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Mário Aluízio. Neste último compromisso, foram assinadas cartas de intenções entre os dos países para instituir programas de cooperação técnica nas áreas de Patrimônio, Cultura, Artes e Educação. A Universidade Federal de Alagoas (Ufal) também faz parte do projeto.

Fundada em 1559 e com notório reconhecimento no meio acadêmico, pela atuação em pesquisas nas áreas dos saberes, a Universidade de Évora, ao lado da Câmara Municipal (Prefeitura no Brasil) possuem interesses em desenvolver projetos e a partilha de experiências e boas práticas do patrimônio cultural, material e imaterial de ambas as cidades históricas.

Da esquerda para direita: Professora Assunção Folque, Marcius Beltrão (Prefeito de Penedo), Mário Aluízio (IPHAN), Ana Paula Amendoeira (Diretora regional do Alentejo – Instituto de preservação do patrimônio de Portugal) e a professora da Universidade de Évora e responsável técnica do projeto, Izabel Bezelga.

“A ideia é que o projeto possa unir educação, patrimônio, arte e cultura. O patrimônio só faz sentido se estiver vida envolvida. Essa é a nossa perspectiva. Vamos usar todos para dar vida e as crianças são primordiais neste projeto. Ninguém é capaz de resistir a um grupo entusiasmado em função do que estão conhecendo. As crianças e jovens precisam estar inseridos, se apropriarem e fazer parte de tudo que o conhecimento pode proporcionar”, explicou a professora da Universidade de Évora e responsável técnica do projeto, Izabel Bezelga.

Encerrando a série de compromissos em Portugal, o chefe do Executivo penedense comemorou os resultados nas áreas de pesquisa, educação e turismo.  “Nós temos muito para aprender nas áreas dos saberes. Ao tempo, que também possuímos técnicas para ensinar. Em saúde pública o Programa Saúde da Família serve de referência para vários países. Em preservação do patrimônio estamos caminhando bem. Vamos trocar experiências em diversas áreas e aplicar em Penedo, buscando o nosso crescimento e o bem-estar da nossa gente. Esse foi mais um passo para o nosso grande sonho: Transformar Penedo em um grande polo educacional”.   

Universidade de Évora

A Universidade de Évora (1559) foi a segunda universidade a ser fundada em Portugal, logo após a de Coimbra (1537), diante da necessidade de uma que atendesse o sul do país. A ideia original de criação foi de D. João III. Porém, coube ao Cardeal D. Henrique a sua concretização. Com a anuência do Papa Paulo IV,  foi criada em abril de 1559 a nova Universidade, com direito a lecionar todas as matérias, exceto a Medicina, o Direito Civil e a parte contenciosa do Direito Canônico.

A inauguração solene decorreu no dia 1 de novembro desse mesmo ano. Ainda hoje, neste dia se comemora o aniversário da Universidade de Évora, com a cerimônia da abertura do ano acadêmico. Atualmente a Universidade de Évora possui quatro departamentos com 25 graduações. Além da oferta de pós-graduação, mestrado e doutorado.

Da esquerda para direita: Vereador de Évora, Eduardo Luciano, Mário Aluízio (IPHAN), Marcius Beltrão (Prefeito de Penedo), Carlos Pinto de Sá (Presidente da Câmara de Évora – Equivale a prefeito no Brasil) e as professoras da Universidade de Évora, Izabel Bezelga e Assunção Folque.
penedo.al.gov

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com