Turismo em Alagoas volta a atrair atenção do mercado europeu

Texto de Barbara Pacheco e Morena Melo

Restabelecer o relacionamento entre o turismo alagoano e o mercado português. Esse foi o principal motivo pelo qual uma comitiva institucional composta pelo secretário municipal de Turismo, Jair Galvão; o secretário estadual do Desenvolvimento Econômico e do Turismo, Rafael Brito, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Alagoas (ABIH-AL), Milton Hênio Vasconcelos, além de outros representantes do trade turístico alagoano, participou de um dos maiores eventos do turismo europeu – a Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL).

 

O encontro, que reuniu mais de mil expositores e empresários de todo o mundo, foi realizado esta semana no Parque das Nações, em Lisboa, e simboliza um marco no estreitamento da relação entre os mercados turísticos alagoano e português, que já começaram a definir estratégias para atuação conjunta, após um hiato de cinco anos.

 

Entre os principais temas abordados nas discussões está o fortalecimento da malha aérea, com a operação de voos regulares e os voos charters (fretado por operadoras de turismo), e a definição de estratégias de divulgação dos destinos alagoanos, tendo como base as ações em Maceió.

 

 

De acordo com o secretário de Turismo de Maceió, Jair Galvão, a participação da delegação de Alagoas com representantes do poder público municipal, estadual e da iniciativa privada foi importante para mostrar a real intenção em firmar a parceria com o mercado português. “A presença das principais pastas de governança do trade turístico alagoano no evento transmitiu a credibilidade de que precisamos para trabalhar com profissionalismo e confiança nos nossos produtos junto a Portugal”, avaliou.

 

A exemplo do que aconteceu após a reaproximação com o mercado argentino – que resultou na conquista de voos regulares, voos extras e, mais recentemente, do voo direto que liga a cidade de Córdoba a Maceió, com início em abril  –,  o restabelecimento da relação com o mercado português, segundo Jair Galvão, trará resultados positivos gradativamente.  “Uma vez reiniciadas as operações com o país, temos certeza de que se multiplicarão ao longo do tempo, assim como foi com a Argentina, com novas oportunidades de ligações aéreas e operadoras que ainda não têm Maceió em seu portfólio de vendas”, destacou.

 

Na pauta das discussões, empresários europeus conheceram as vantagens de implantar novos voos em Alagoas, a partir da política fiscal do Governo do Estado direcionada ao fomento do turismo, como explica o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito.

 

“Para as companhias aéreas, o custo com o combustível representa 35% do valor gasto com os voos, o que acaba determinando a distribuição da malha aérea pelo país de acordo com a competitividade do ICMS praticado. Por causa disso, o Governo do Estado reduziu o imposto para atrair mais voos para Alagoas. Na prática os voos internacionais, por lei, são desonerados, mas com os incentivos concedidos, as companhias aéreas que implementarem voos internacionais para Alagoas recebem desoneração para voos nacionais”, explicou o secretário.

 

 

Avanços

Para iniciar os primeiros avanços na malha aérea regular, a comitiva alagoana intensificou os diálogos com a maior companhia aérea estrangeira que opera no Brasil, a Transportes Aéreos Portugueses (TAP), representada no evento pelo diretor-geral da TAP Brasil, Mário Carvalho. A intenção é viabilizar a compatibilidade de conexões domésticas com as internacionais, como o voo de Maceió para Recife e Recife para Lisboa, por exemplo, com uma tarifa unificada. Com isso, Maceió passaria a ter uma operação regular de ligação com a Europa, por meio da Azul, em Recife.

 

Outra possibilidade discutida junto à TAP foi a existência de um voo regular semanal que ligasse Maceió diretamente a Lisboa nos fins de semana, o que fortaleceria o mercado  doméstico e internacional, assim como o que se propôs com a Argentina – principal mercado emissor de Alagoas.

 

Além disso, a comitiva também discutiu com operadoras portuguesas a comercialização do destino por meio de voos charters, possibilidade já considerada por algumas empresas que trabalharam com a venda do destino anteriormente. A expectativa é que as operações eventuais sejam restabelecidas para 2019.

agenciaalagoas.al.gov

 

 

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com