Nova operação na Rocinha deixa mais um morto; é o 9º desde sábado

Uma pessoa morreu, na manhã desta segunda-feira (16), na Rocinha, Zona Sul do Rio, durante uma operação de policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) na comunidade. A ação acontece dois dias depois da morte de oito pessoas na favela.

De acordo com o porta-voz da Polícia Militar, Major Ivan Blaz, até o momento um fuzil foi apreendido pelo Bope. De acordo com a polícia, o suspeito estava com um fuzil modelo 566 e tinha, aparentemente, cerca de 30 anos. O confronto aconteceu na localidade conhecida como 199.

Na manhã de sábado (24), uma operação policial na Rocinha terminou em confronto e deixou pelo menos oito mortos. A Polícia Civil identificou 7 dos 8 corpos. De acordo com o Major Ivan Blaz, 4 deles já tinham antecedentes criminais.

O tiroteio no sábado (24) pela manhã durou, pelo menos, uma hora, deixando oito mortos. Alguns parentes contestam a versão dada pela polícia de que eles tinham envolvimento com o tráfico de drogas. A família de Matheus da Silva Duarte diz que ele era dançarino de um projeto social e tinha acabado de chegar de uma festa de 15 anos e resolveu dar uma passada no baile funk que ainda acontecia na comunidade e acabou sendo atingido pelas costas.

As armas dos policiais que participaram dessa operação foram apreendidas e vão passar por uma perícia. De acordo com o delegado responsável pelas investigações, não há indícios de execução.

Na semana passada, um PM e um morador foram baleados e morreram durante tiroteio na favela. O soldado Filipe Santos de Mesquita foi atingido por quatro tiros durante um confronto entre policiais e traficantes, por volta das 20h30. Ele foi levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas morreu logo depois. Na ação, o morador Antonio Ferreira da Silva, conhecido como Marechal, também foi baleado e morreu. Antonio vendia itens usados na localidade do Valão, na Rocinha, quando o confronto começou.

Segundo a polícia, o tiroteio começou quando PMs da UPP Rocinha foram atacados durante patrulhamento pelo Largo do Boiadeiro. O soldado PM Felipe Mesquita foi atingido e socorridos ao Hospital Miguel Couto. Ele não resistiu aos ferimentos. A PM também confirmou que o morador foi baleado na passarela.

O enterro de Marechal aconteceu no sábado e deixou muitos amigos e moradores da comunidade emocionados. No entanto, alguns não puderam comparecer ao enterro no Cemitério do Caju, na Zona Portuária, por causa do tiroteio que deixou oito mortos na região.

Gazetaweb

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com