36708e8d-9af8-4da4-a8b6-70e56dbef6a4

Sétima edição do Xangô Rezando Alto é realizado no Centro de Maceió

C

om o intuito de conscientizar a população sobre a intolerância religiosa, 15 grupos de oxê do Candomblé e de Umbanda de Maceió, participaram da sétima edição do evento Xangô Rezando Alto realizada na tarde desta quinta-feira (1ª). Os participantes fizeram manifestações culturais na Praça Dom Pedro II e caminharam até a Praça dos Martírios, no Centro da capital.

Uma das produtoras do evento, mãe Jeane Yara, contou que a intolerância religiosa ainda é muito forte em Alagoas e que as religiões de raízes africanas são agredidas por membros de religiões cristãs.

Manifestações de maracatu, afroxé, dança e teatro foram realizadas

FOTO: FELIPE BRASIL

 

“É comum escutar histórias de que esses membros nos perseguem, muitos deles denigrem a imagem da nossa religião. O meu terreiro já foi denunciado por membros de outra religião, de uma Igreja próxima, devido ao barulho dos nossos cultos. Nós nunca nos incomodados com o barulho do culto deles. Essas pequenas coisas também dão margem a outras atitudes desrespeitosas”, explica.

Durante a celebração na Praça dos Martírios, apresentação de maracatu, afroxé, dança, tearo e outras manifestações culturais foram realizadas sob o auxílio da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac) e entre os grupos que participaram da ação estavam ao Afro Dendê, Maracatodos, Afrojubá, Baianas de Ganga Zumba, Taieiras Alagoanas, Afro Zumbi, Afro Erê e Afro Afoxé. Além dos grupos Afoxé Oba Agobô, Afoxé Oju Omin Omorewá, Afoxé Ofá Omin, Afoxé Odo Yá, Maracatu Raízes da Tradição e Afoxé Povo de Exu. As atrações foram selecionadas por meio de edital lançado ano passado pelo município.

gazetaweb.globo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com