Prefeito de Penedo recebe líderes do acampamento do MST Nova Esperança

Marcius Beltrão se prontificou em atender uma boa parte dos pleitos, logo que eles de forma definitiva sejam assentados

Desde o início da manhã desta terça-feira (14), integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) estão da Prefeitura de Penedo. Os trabalhadores rurais buscavam uma audiência com o prefeito Marcius Beltrão (PDT), para discutir algumas reivindicações. Cumprindo agenda externa, o gestor os recebeu no Gabinete do Povo no período da tarde.

Uma comissão formada por líderes do Acampamento do MST Nova Esperança, localizado na zona rural do município, sentou à mesa com o gestor, procurando solucionar algumas demandas.

“Existe uma ordem de reintegração de posse para a área em questão. A terra pertence ao Grupo Toledo, Usina Paisa. Conversei por telefone com o diretor-presidente do Iteral, Jaime Silva e ele garantiu que já existe uma área definitiva para assentamento. Sendo assim, logo que ocorra, atenderemos alguns pleitos. Da forma atual, não posso atender a grande maioria das demandas, devido à ordem judicial”, explicou o gestor.

Algumas das pautas serão resolvidas de imediato, a exemplo da coleta de lixo, agente de saúde e transporte escolar. “Possuo uma grande admiração para com os trabalhadores rurais. Durante o diálogo, também os orientei para que busquem a regulamentação para que possam comercializar seus produtos com a Secretaria de Educação. O homem do campo tem um papel de extrema importância na economia e na nossa vida”, encerrou o prefeito Marcius Beltrão.

.

 

Logo depois da audiência com o gestor de Penedo, os trabalhadores rurais do MST deixaram a sede do Executivo e retornaram para o Acampamento do MST Nova Esperança. Atualmente, estão em uma área de propriedade do Grupo Toledo, Usina Paisa, nas proximidades do bairro Santa Cecília. O despacho de reintegração de posse foi assinado em fevereiro de 2017. O Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral) confirmou que já existe uma área para o assentamento, que deve ocorrer logo que os trâmites de legalização sejam conclusos.

Por: Roberto Miranda – Jornalista diplomado – (MTE/AL – 1331)

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com