O assédio político e os caminhos de Tereza Collor

Tereza Collor sempre teve um pé na política, mas nela nunca desembarcou definitivamente, apesar de vários ensaios. Porém, depois de circular pelo interior de Alagoas divulgando o seu livro, o que causou alvoroço entre os chefes políticos locais – ela foi assediada para entrar na política.

Ou seja,Tereza despertou e foi despertada pelo que estava adormecido: política e o contado direto com o povo. Esse fato correu Alagoas e chegou até as principais lideranças. Simples assim.

Depois disso praticamente todos os partidos abriram as portas e se ofereceram para ela assinar a ficha de filiação. Tem sigla de centro, de esquerda, direita, conservador, nanico, de aluguel, enfim, a lista é imensa.

Ela estuda, analisa e sabe que precisa decidir logo, mas ainda tem dúvidas sobre qual partido deve optar. Em todas as situações existem pontos positivos e negativos que precisam ser muito bem pensados, ainda mais nesse ofício cuja regra é o jogo duro e bruto.

Conversas

Filiada ao PSDB, sabe que o ex-governador Teotonio Vilela é candidato natural do partido ao Senado Federal. Por isso Tereza não decidiu se fica ou se sai porque ainda não tem conhecimento se poderá também colocar o seu nome na disputa por uma das duas vagas, ou se poderá concorrer apenas como deputada federal?

Tereza Collor tem circulado em Brasília. Esteve muito próxima do PPS. Conversou com lideranças do partido, casos de Régis Cavalcanti – agora secretário do governo Renan Filho – e Roberto Freire.

Foi procurada pelo senador Álvaro Dias, agora no Podemos. Ele será candidato a presidente e quer filiar a alagoana para disputar o cargo que quiser e ser a ‘puxadora’ de votos da sigla no estado.

Conversas ocorreram sobre filiação, ainda, com o PSB de JHC, assim como com o partido Rede de Heloísa Helena e o PDT de Ronaldo Lessa. Todas essas portas e janelas abertas esperam e querem Tereza Collor em suas fileiras.

O filho dela com o empresário Pedro Collor – falecido em 1994 – será candidato a deputado estadual. Fernando Affonso Lyra Collor de Mello, que foi vice-prefeito de Atalaia até 2016, também tem sido assediado por legendas nanicas em Alagoas. Mas ele, que circulou com sua mãe pelo interior, vai definir o seu caminho junto com Tereza.

Resumindo: Todos querem o simpático discurso e o cativante sorriso de Tereza Collor conquistando o eleitor alagoano. E aguardam ansiosamente a resposta.

Será que os “Lyra Collor de Mello” vão topar?

Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

cadaminuto

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com