c6dfcdbc-b331-4e4b-8b35-e3c6ffe82a14

Presidente da AMA diz que recursos do Governo Federal não foram utilizados

Após as divergências apresentas pelas prefeituras dos municípios de Alagoas atingidos pelas chuvas, a Defesa Civil Estadual informou, nesta quinta-feira (08), que 998 pessoas estão desabrigadas e 348 desalojadas. Na coletiva, o presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), Hugo Wanderley, afirmou que os recursos de R$ 13 milhões enviados pelo Governo Federal não foram utilizados pelos prefeitos.

Na última segunda-feira (06), a Defesa Civil havia informado que o número de pessoas atingidas teria caído de 39 mil para 7.600 pessoas. Entretanto, na manhã de hoje, o número diminuiu para 1.346 atingidos. O Ministério Público (MP) suspeita que as prefeituras tenham superfaturado os números de vítimas para que os recursos destinados fossem maiores.

O presidente da AMA comentou que é preciso que sejam apurados os casos, mas que garante que a grande maioria dos gestores agiu e está agindo com a maior boa fé. “Sei que o recurso que foi enviado pelo Governo Federal não foi utilizado pelos prefeitos. Não podemos generalizar, até porque os prefeitos de Alagoas não usaram nenhum centavo do recurso de Brasília”.

Sobre os números que estavam desencontrados, o gestor ressaltou que os números referentes aos desalojados já eram esperados porque os prefeitos agiram com precaução e eficácia retirando as famílias das áreas de risco. “Ao ponto que as áreas de riscos vão diminuindo e os leitos de lagoas e rios estão diminuindo, as famílias estão retornando para as casas, então o número de hoje já não é o mesmo de amanhã”.

Hugo também comentou que sobre os números dos desabrigados é preciso que haja uma apuração de caso a caso. “Antes que fosse utilizado qualquer recurso, a AMA e o Governo estavam fazendo um levantamento para saber os dados”.

Ainda na coletiva, o secretário de Comunicação Ênio Lins, disse que nenhuma irregularidade foi cometida e que o Governo de Estado juntamente com as prefeituras e a Defesa Civil trabalhou de forma inédita, garantindo a retirada de pessoas das áreas de riscos e prestando assistência necessária.

“Qualquer erro que possa ter sido cometido deve ser corrigido. Nós agradecemos a quem quer que possa apontar qualquer erro”, afirmou o secretário. E ainda ressaltou que devido às chuvas o sistema de alerta permanece até o final dos períodos das chuvas.

*colaboradora

cadaminuto

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com