72575-54069fe3_b357_4bd3_a514_1c5826c57b59_jpg

“Chance de achar corpo de Ryan é menor a cada hora”, diz Coronel dos Bombeiros

Sobre o desaparecimento do menino Ryan, de apenas 13 anos, que se afogou e sumiu na praia do Pontal do Peba, em Piaçabuçu, na tarde do último domingo (14), o Tenente Coronel Ricardo Cruz, chefe da Assessoria de Comunicação do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas, informou, na manhã desta quarta-feira (17), que o percentual de chance de encontrar o corpo é menor a cada hora.

“Desaparecimento de corpo no mar é uma situação muito complicada porque o mar é uma imensidão e rapidamente as correntes marítimas pode levar para o alto mar”, explicou. “A chance de busca e acerto em lagoa ou rio é mais fácil pela área ser menor, mas em mar, após 1h, já fica quase impossível”.

Ele informou que as buscas continuam, mas que é importante que a população tenha consciência da dificuldade. Ricardo também orientou que no momento que acontecer o afogamento é imprescindível ligar automaticamente para o 193, pois os primeiros minutos são decisivos para o resgate.

Relembre o caso

O menino identificado como Ryan morava no conjunto Cidade do Povo , no bairro Raimundo Marinho, em Penedo. Ele foi acompanhado dos avós e tios para um passeio que tinha como destino final o Pontal do Peba.

Testemunhas disseram que dois adolescentes brincavam nas proximidades da barrinha, conhecida pelas piscinas naturais, onde acabaram se afogando. Um deles foi resgatado com vida por banhistas e pescadores, mas, Ryan não teve a mesma sorte. Ele desapareceu no mar.

A família entrou em desespero e foram socorridos para Unidade de Emergência em Piaçabuçu. A mãe de Ryan não estava no passeio por estar internada com problemas de saúde, agora agravados com o desparecimento do seu filho.

 

 

Fonte: 7 Segundos

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com