PLANTAO

Ocorrências 11º Batalhão – Serviço 19 – 20/04/2017

1 – ESTABELECIMENTO COMERCIAL DO RAMO ALIMENTÍCIO FOI ALVO DE FURTO PRATICADO POR CLIENTE NA CIDADE PENEDO.

Na manhã de ontem, quarta-feira dia 19, por volta das 09h30 foi registrada pelo 11º. Batalhão de Polícia Militar a ocorrência de furto a Pastelaria de Dona Aurinha localizada no Largo de Fátima. De acordo com as informações repassadas pela atendente da pastelaria aos policiais que atenderam a ocorrência, duas mulheres chegaram ao estabelecimento para fazerem um lanche e no momento em que foram realizar o pagamento no caixa não tinha a quantia para passagem do troco. Diante da situação a atendente precisou se ausentar do local para tentar trocar o dinheiro. As clientes se aproveitaram da ausência da atendente e furtaram do caixa o valor de R$ 100,00 no caixa. Em seu retorno a atendente estranhou as clientes não estarem no local e percebeu que faltava a referida quantia e por ocasião do fato a polícia foi acionada.  Os militares então orientaram a mesma para que se dirigisse a delegacia e registrasse um boletim de ocorrência do furto.

 

2 – REGISTRO DE DESACATO A AUTORIDADE POLICIAL NO CONJUNTO VALE DO SÃO FRANCISCO NA NOITE PASSADA.

Por volta das 18h45 desta quarta-feira, 19, uma guarnição foi incumbida de atender uma ocorrência de carro com som alto no Conjunto Vale do São Francisco, parte alta de Penedo, em um bar. Se dirigindo ao local os policiais constataram a situação e de imediato solicitaram ao proprietário que o volume fosse diminuído sendo prontamente atendidos. Até aí tudo perfeitamente normal, não fosse o fato de logo em seguida sair do estabelecimento o Eugênio Lourenço Diniz de 57 anos querendo saber quem era o responsável pela guarnição e porque eles estavam abordando no bar. Após o responsável da guarnição se apresentar o Eugênio que apresentava estado de embriaguez alcoólica e descontrole disse que ia anotar a placa e o prefixo da viatura dizendo que a abordagem era ilegal e que estava sendo praticado um abuso de autoridade. Diante do visível estado de embriaguez do mesmo, os policiais então pediram para que ele se acalmasse mas o mesmo não obedeceu o pedido situação que passou a ser caracterizada como desacato pelo constante estado de exaltação do Eugênio. Foi dada voz de prisão e mesmo assim ele disse que só responderia em juízo.

 

Peterson Almeida

 

 

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com