Governador Renan Filho e senador Renan Calheiros - Divulgacao

Desgaste faz Renan intervir no governo do filho, em Alagoas

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) fará a primeira intervenção explícita no governo de seu herdeiro Renan Filho (PMDB), em Alagoas, em uma tentativa de contornar a insatisfação de deputados peemedebistas com a falta de habilidade política do governador. A reunião com os 11 parlamentares do PMDB, marcada para a tarde desta segunda-feira (6), é reflexo do enfraquecimento político do ex-presidente do Senado e de seu herdeiro.

De acordo com as palavras do próprio governador, em seu discurso feito há menos de um mês ao abrir o ano legislativo de 2017, a intervenção de Renan Calheiros no seu governo é prova de que o problema político é grande e Renan Filho não sabe o que fazer, porque “a broca não rasga mais a pedra”.

Enfim, ambos, pai e filho, estão com os projetos de reeleição ameaçados pelos próprios rumos políticos que decidiram tomar, em Brasília e em Alagoas. Enfraquecidos, não são mais vistos pelos deputados como capazes de contornar o abismo político que cavaram entre o governo de Alagoas e suas bases.

“Falta articulação política no governo. Renan Filho centraliza tudo e aí não tem tempo pra resolver. Deputados estão putos por terem participado da campanha [em 2014] e os que votaram contra é que estão sendo valorizados”, reclamava um dos deputados peemedebistas, ao falar com o Diário do Poder na manhã desta segunda-feira (6).

Clã Pereira ganhou espaço de aliados no governo (Foto: Facebook)

PRESTÍGIO A OPOSITORES

A fala atinge os últimos movimentos políticos do governador, que entregou, por exemplo, a cobiçada pasta da Assistência Social ao ex-prefeito de Junqueiro, Fernando Pereira (PMDB), cuja família apoiou a candidatura do senador Benedito de Lira (PP) ao governo, contra Renan Filho, em 2014.

Além disso, Renan Filho contrariou a promessa de exigir de aliados indicações técnicas para as pastas do governo, com as posses do ex-prefeito na Assistência Social e de Arthur Albuquerque, filho de 26 anos do deputado estadual Antônio Albuquerque (PTB), na pasta do Trabalho e Emprego, jovem que sequer tem formação profissional ou acadêmica.

“O pai está ciente da fragilidade política do filho. Mas conversar agora não vai amenizar a situação. Chegou tarde”, avaliou outro deputado peemedebista, em conversa com o Diário do Poder.

DISCUTINDO A RELAÇÃO

Segundo o blog do jornalista Edivaldo Júnior, que é auxiliar parlamentar pleno do gabinete de Renan Calheiros desde fevereiro, o encontro vai discutir, além de políticas públicas, o cenário político do estado e estratégias para as eleições de 2018.

“O objetivo desta reunião será discutir a relação com o governo, analisar a atuação do partido na Assembleia Legislativa e discutir propostas para aumentar o protagonismo do PMDB na definição de politicas públicas de Alagoas. No encontro, também vamos conversar sobre a preparação das chapas”, disse Renan Calheiros, de acordo com o blog de seu assessor.

As palavras do discurso de Renan Filho, em 15 de ferreiro, podem ajudar o leitor a traduzir o que está acontecendo nesta 1ª segunda-feira de março: “Quando o problema aqui é grande, que eu estou sem saber bem o que fazer, que eu sinto que a dureza não permite que a broca rasque a pedra, aí eu conto com o senador Renan Calheiros, que ajuda demais”.

Talvez uma broca não seja a melhor ferramenta para se fazer política.

diariodopoder

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com