Flavio Miguel de Oliveira Peixoto o Mineirinho presidente do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas - Divulgacao

Sindicato dos Jornalistas de Alagoas repudia ataque de deputado

O presidente do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas (SindJornal), Flávio Miguel de Oliveira Peixoto, o Mineirinho, repudiou a investida do deputado federal João Henrique Caldas, o JHC (PSB-AL), contra o exercício do trabalho do jornalista do Diário do Poder, Davi Soares. O filho do ex-deputado federal João Caldas prestou queixa à Polícia Federal (PF) contra o jornalista, porque este exibiu certidão pública atestando que o parlamentar lotou a própria mãe, Eudócia Caldas, em seu gabinete, quando era deputado estadual em 2013.

Ao repudiar mais uma tentativa de JHC de intimidar o trabalho da imprensa alagoana, o dirigente sindical citou o recente relatório da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), que demonstrou o crescimento de 17,52% de casos de violência contra jornalistas em 2016.

“Repudiamos qualquer atitude que busque impedir o trabalho da imprensa, vivemos numa Democracia e o jornalista possui papel fundamental para garantir que a sociedade tenha conhecimento dos fatos. Não aceitamos ações daqueles que investem no cerceamento do trabalho jornalístico. Gostaria de lembrar que no último dia 12, no Rio de Janeiro, a Federação Nacional dos Jornalistas lançou o Relatório de Violência Contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil 2016 e infelizmente, os casos de violência contra jornalistas cresceram 17,52% no ano passado em comparação com 2015. Agressões físicas ou verbais, ameaças, intimidações, cerceamento por meio de ações judiciais, impedimentos ao exercício profissional e à atividade sindical, prisão, censura, atentados e assassinatos ilustram o cenário que causa revolta em todos nós”, declarou o presidente do SindJornal.

Ilustração da censura, por Beppe Grillo

JORNALISMO QUE INCOMODA

A apuração do jornalista Davi Soares foi criteriosa e o Diário do Poder publicou, em 27 de agosto de 2016, a matéria com o título “Certidão atesta: JHC chefiava mãe ao denunciar esquema”. Ao receber o documento oficial de uma fonte e antes de publicá-lo, o jornalista checou com o próprio signatário do documento as informações sobre a lotação de Eudócia no gabinete do filho e a existência da certidão.

Além disso, seis horas antes da publicação da matéria, o jornalista entrou em contato com a assessoria do então candidato a prefeito, encaminhou a imagem da certidão e pediu esclarecimentos. Mas nenhuma resposta foi dada, além de promessas de resposta.

O jornalista foi notificado por telefone na tarde da última quinta-feira (12), por um escrivão da Superintendência da Polícia Federal em Alagoas, que marcou seu depoimento para as 11h desta terça-feira (17) para o delegado Alexandre Brabo.

“Quem assinou essa certidão também vai ser intimado. Aí, a gente provavelmente vai fazer um grafotécnico em cima dele, para ver se essa certidão realmente é falsa ou não. No seu caso, quem representou isso aqui foi o próprio João Henrique Hollanda Caldas, como se você tivesse prejudicado ele de alguma forma. A representação foi do João [Henrique] Caldas contra vocês dois”, disse o escrivão da PF, ao notificar o jornalista.

As informações e a documentação sobre o caso serão levadas à presença do delegado pelo jornalista, que foi o primeiro a revelar o caso em 2013.

diariodopoder.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com