Há seis anos sem rebeliões, Alagoas é o Estado que mais emprega reeducandos

Texto de Mayara Wasty

Os investimentos em capacitação profissional, aparelhamento das unidades e ações de humanização são a aposta do Governo de Alagoas para evitar rebeliões no sistema prisional. Há seis anos sem registrar rebeliões, os esforços têm mantido a segurança da população e fortalecido a ressocialização dos custodiados.

 

Segundo informações da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris), a última rebelião ocorreu em dezembro de 2010 e, desde então, toda atividade anormal tem sido controlada, impedindo a evolução para situações mais graves. Para o secretário, tenente-coronel Marcos Sérgio de Freitas, o trabalho desenvolvido pelos agentes penitenciários é fator determinante para a estabilidade nas unidades prisionais.

 

Segundo dados que reforçam essa política, Alagoas é, proporcionalmente, o Estado que mais emprega reeducandos no mercado de trabalho, por meio de convênios com várias secretarias e órgãos do Executivo e da iniciativa privada.

 

“São os agentes penitenciários que estão lá efetivamente com essa difícil missão de fazer cumprir a execução penal. Graças ao investimento em capacitação, esses servidores estão mais preparados para agir em qualquer situação anormal”, explicou Marcos Sérgio.

 

O secretário destacou ainda o incentivo do Governo do Estado à política ressocializadora. “Desde os primeiros dias de mandato, o governador Renan Filho nos passou a determinação para fomentarmos a ressocialização, Portanto, hoje somos o Estado que, proporcionalmente, mais emprega reeducandos no mercado de trabalho por meio de convênios. Isso, aliado à tecnicidade dos servidores, tem proporcionado a melhoria no sistema prisional”, afirma o secretário.

 

Hoje, Alagoas possui um terço dos reeducandos do regime semiaberto trabalhando em empresas do setor público e da iniciativa privada. São 27 convênios e 514 pessoas empregadas. A meta é ampliar este número para 800 apenados até o final do ano.

 

Investimento

 

Nos últimos anos, o investimento no sistema prisional tem sido ampliado com aquisições de armamentos, equipamentos de segurança e aparelhamento das unidades. Além disso, a instalação da Central de Videomonitoramento, com 440 câmeras instaladas em pontos estratégicos, permite mais controle, segurança e eficiência na atuação dos agentes penitenciários.

 

Na última terça-feira (17), o secretário de Ressocialização, tenente-coronel Marcos Sérgio de Freitas, discutiu, com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, e secretários de Segurança do país, a implantação do Plano Nacional de Segurança nos presídios. Na ocasião, Alagoas foi contemplado com R$ 44 milhões para aquisição de novos equipamentos e construção de novos presídios.

 

Os recursos servirão também para que os agentes tenham melhores condições de trabalho, utilizando novos equipamentos. A intenção é que Alagoas continue longe da crise que assola presídios de outras unidades federativas.

 

“Alagoas foi contemplado com o envio de R$ 44 mi para aquisição de novos equipamentos e construção de presídios. Em breve, nossos agentes terão melhores condições de trabalho. Trata-se de um compromisso do Governo do Estado de investir nas forças de segurança e promover a justiça no cárcere”, destaca o secretário de Ressocialização.

agenciaalagoas.al.gov.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com