bbxcsfy

Veja o lugar que Nenê teria na história da NBA sem câncer e lesõe

Nenê se tornou nesta segunda-feira o primeiro brasileiro a atingir a marca dos 10 mil pontos na NBA. E, não fossem as inúmeras lesões e o câncer que enfrentou, ele poderia ter se inserido ainda mais entre os melhores jogadores da história da maior liga de basquete do mundo.

Os números mostram isso. Se conseguisse jogar todos os jogos, Nenê poderia estar entre os 150 maiores pontuadores e ainda entre os 100 maiores reboteiros da história da NBA. Sempre lembrando que ele já tem o 23º melhor aproveitamento nos arremessos de todos os tempos.

Em sua 15ª temporada, Nenê entrou em quadra 831 vezes e tem uma média de 12 pontos e 6,4 rebotes por jogo.

Considerando que ele tivesse jogado os 1.180 jogos que poderia ter atuado, Nenê já teria 14.160 pontos e 7.552 rebotes na carreira.

É claro que seria impossível para qualquer um entrar em quadra em todas as partidas possíveis. Mas também temos que considerar que Nenê perdeu muitos jogos justamente quando estava em seu auge na carreira, com médias bem melhores que as atuais.

Em 2005-06, por exemplo, já havia conquistado a posição de titular do Denver Nuggets quando se machucou ainda na estreia da temporada e perdeu todos os jogos restantes daquele campeonato. Em 2007-08, quando estava no auge da carreira, mas enfrentou o câncer no testículo e ainda teve outras lesões, jogando apenas 16 vezes.

Com os números totais, Nenê estaria atualmente na 165º em pontos na história da NBA, a frente de nomes como Manu Ginobili, Al Jefferson, Bill Laimbeer e Vlad Divac.

Em rebotes, Nenê figuraria na 88ª posição, a frente, por exemplo, de Rasheed Wallace e Dominique Wilkins.

A comparação com Manu Ginobili, aliás, é muito boa. O argentino parece muito mais consolidado na NBA, mas tem números próximos do brasileiro, na verdade. São 12 pontos, 6,4 rebotes, 2 assistências e 1,1 roubo de bola por partida para Nenê contra 13,9 pontos, 3,6 rebotes, 3,4 assistências e 1,4 roubo de bola do ídolo dos Spurs.

Fora as lesões, o grande ‘pecado’ da carreira de Nenê foi a falta de títulos. Em 14 anos, ele até chegou à pós-temporada nove vezes, mas nunca conseguiu ser campeão.

msn

 

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com