renan-filho-e-luciano-barbosa-governador-e-vice-de-alagoas-assessoria

FRAGILIZADO, VICE DE RENAN FILHO DEVE DEIXAR COMANDO DA EDUCAÇÃO

Desde o final de outubro, circula nos bastidores do Governo de Alagoas a informação de que o governador em exercício Luciano Barbosa (PMDB) será atingido pela reforma administrativa que será promovida pelo governador Renan Filho (PMDB) para adequar suas bases aos resultados das eleições municipais. As especulações dão conta de que o vice-governador deixará o comando da Educação para assumir a pasta Saúde, em 2017.

Assim como Renan Filho, seu vice perdeu musculatura política em Alagoas, desde o início de outubro, principalmente em consequência da derrota imposta pelo eleitor em seu reduto político, Arapiraca. Barbosa perdeu a disputa pela prefeitura desta segunda maior cidade alagoana, tendo como candidato o deputado estadual Ricardo Nezinho (PMDB).

Mas apesar da fragilidade, o vice de Renan Filho segue sendo prestigiado pelo governador e, principalmente, pelo senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que tem o ex-ministro da Integração Nacional de FHC como seu homem de confiança. Prova disso é a intenção de nomeá-lo para substituir sua comadre Rozangela Wyszomirska no comando da pasta da Saúde.

Mesmo neste contexto de perda de poder político nas urnas, a troca de pasta não pode ser vista como um castigo contra Luciano Barbosa. Pois as secretarias da Educação e da Saúde são as maiores em termos de circulação de recursos. Porém, a mudança de posição é um recado de que seu estilo de gestão não mais contribui com os planos de Renan Filho para a Educação.

Na fritura

Reitora licenciada da Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal) Rozangela vem sendo fritada no cargo por Renan Filho, desde o final de 2015. A principal reclamação contra a secretária era de não atender demandas simples de deputados e prefeitos, ignorados sem cerimônia pela gestora.

Agora, com a baixa avaliação pelas bases políticas dos Renans e também pela avaliação interna do governo Rozangela não tem saída e será atingida pela reforma administrativa.

Rifando

Agora, a pasta da Educação, conduzida pelo vice, está sendo rifada entre aliados políticos, não apenas pensando em melhorias mais efetivas na Educação, que passou metade do governo focada na instalação de escolas em tempo integral. Mas também para amarrar bem os aliados e garantir a reeleição de Renan Filho e do senador Renan Calheiros em 2018.

Prefeito de Jequiá da Praia e presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), Marcelo Beltrão (PRB) nega, mas seu nome vem sendo citado como futuro secretário de Educação. Ele é primo do ministro do Turismo Marx Beltrão, mas não teria sido uma indicação do parente empoderado no governo de Michel Temer.

O movimento seria mais uma frente de barganha dos Renans para que a família Beltrão apoie o nome do prefeito eleito de Cacimbinhas, Hugo Wanderley (PMDB), para sucedê-lo na presidência da AMA. A outra frente é a garantia da ida do vereador de Coruripe Edinho (PMDB), para a Presidência da União dos Vereadores de Alagoas (Uveal), sucedendo Hugo Wanderley.

“Luciano está fragilizado no governo e politicamente. O governador vai promover mudanças no secretariado respeitando o novo mapa eleitoral e novo cenário. Palavras dele. Assim que ele chegar das férias, vai dar início as negociações”, confirmou uma fonte da cúpula do governo do PMDB.

diariodopoder

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com