201608221506_70b57eb1cd

ASA lamenta 2ª eliminação seguida em jogo do acesso, mas surpreende em 2016

O sonho do acesso do ASA para a Série B foi adiado em mais um ano. Pela segunda temporada seguida, o representante de Arapiraca caiu na fase de quartas de final da terceira divisão e vai amargar mais um ano na Série C. Porém, o objetivo traçado pela direção alvinegra para o segundo semestre foi alcançado, com o Fantasma a ignorar crise financeira que o ameaçou de sequer disputar o Brasileiro.

Entre os motivos que ajudam a explicar a eliminação para o Guarani está a má atuação do goleiro Thiago Braga, que acabou falhando em dois dos três gols sofridos no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, na noite do último sábado, quando saiu de campo derrotado por 3×0.

A Série C reúne 20 clubes desde 2009. Desde então, somente o Treze-PB, em 2013, além do ASA neste ano, foram eliminados no jogo do acesso após terem vencido a primeira partida do confronto. No duelo inicial, o Fantasma bateu o Bugre pelo placar de 3×1, o que gerou grande expectativa junto ao torcedor alvinegro – que reconheceu o empenho da equipe comandada por Paulo Foiani.

Superação e dever cumprido

O sentimento de todos os que fazem o ASA é o de dever cumprido. Isso porque o Gigante passou de quase desistente para candidato ao acesso. Após remar contra a maré para contornar crise financeira que lhe prejudicava desde o Estadual, o elenco alvinegro conseguiu ir além da luta contra o rebaixamento, o que justifica o reconhecimento por parte da torcida, apesar do tropeço nas demais competições que disputou.

Técnico Paulo Foiani foi o principal nome do ASA em 2016

FOTO: VALDEIR GÓIS / ASCOM ASA

Foi eliminado pelo desconhecido Gênus-RO na primeira fase da Copa do Brasil e, no Alagoano, parou no hexagonal, o que bastou para que o ambiente no Coaracy da Mata logo se transformasse num verdadeiro inferno astral.

Em menos de um mês, o clube teve quatro treinadores. Com o time sem render o esperado, Vica foi demitido, enquanto o substituto Betinho deixou Arapiraca antes do início da terceira divisão. Veio Jaelson Marcelino (ex-Coruripe), que foi dispensado após discussão com o presidente do clube e deu lugar ao ex-jogador Paulo Foiani.
Em 20 partidas nesta Série C, o Fantasma contabilizou sete vitórias, oito empates e cinco derrotas, marcando 19 gols e sofrendo outros 19.

ASA em 2017

Agora, o elenco alvinegro segue para as férias de final de ano. A diretoria alvinegra ainda não definiu quem continuará no clube em 2017, mas deve promover uma ampla reformulação para as disputas de Alagoano e Série C, com a torcida a renovar sua esperança em título estadual e, sobretudo, no retorno à segunda divisão do campeonato nacional.

 gazetaweb.globo.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com