201607061650_5601bf185b

Rafinha lamenta contusão de Rayro, mas celebra volta à equipe do CSA

O lateral-esquerdo Rafinha comemora a oportunidade de voltar a atuar pela equipe do CSA. O jogador, que se machucou no último dia 27 de agosto pela primeira partida das quartas-de-final da Série D, deve recuperar a posição após a lesão de Rayro, que abandonou a partida do último domingo (25), no primeiro confronto da grande final.

“Estou muito feliz por ter voltado para o time após estar ausente por causa de lesão. Espero jogar no próximo sábado e ajudar o CSA a ser campeão. Infelizmente, o Rayro se machucou, mas é assim quando se tem um grupo forte. Quem entrar precisa dar conta do recado” disse o jogador, nesta manhã, no CT Gustavo Paiva, no Mutange.

Na oportunidade, Rafinha destacou que a principal dificuldade para quem fica de fora por vários jogos é adquirir novamente ritmo de jogo e se adaptar à necessidade da equipe em um duelo decisivo.

“Perder o ritmo de jogo é sempre ruim, mas eu estava treinando forte. Creio que isso não deve ser problema para o jogo de sábado, já que estive ausente apenas por quatro jogos”, emendou.

Foco na final

Ainda em entrevista à Gazetaweb, o lateral que foi destaque no Alagoano 2016 disse que todo o elenco azulino está focado no título brasileiro diante do Volta Redonda e que o empate em Maceió deixou a disputa aberta, com chances para ambas as equipes. Rafinha ressaltou a importância de se conquistar o que seria o primeiro título nacional do CSA.

“O título é muito importante para todo mundo, sob todos os aspectos. Temos a consciência de que o nosso time vai brigar pela taça. No primeiro jogo, tivemos muitas oportunidades de gol, enquanto eles chegaram na bola parada. Creio que iremos jogar de igual para igual no Rio de Janeiro. A disputa está aberta”, pontuou o jogador sobre a decisão da Série D.

Já com relação ao fato de decidir o título fora de casa não assusta o atleta problema. Ele lembrou que, quando precisou fazer o resultado fora, o CSA foi eficiente e saiu de campo vencedor.

“Contra Altos e São Bento, fizemos dois jogos fora de casa com uma vantagem confortável, e isso fez com que o nosso time tivesse uma postura mais defensiva. Porém, quando precisamos definir fora de casa já no primeiro jogo, vencemos todas, contra Parnahyba e Ituano. Precisamos apenas de um pouco mais de calma na hora de definir as jogadas”, concluiu.

gazetaweb.globo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com