IMG_7830-1

Turistas lotam mangue para tomar banho de lama

Um passeio turístico no Litoral Sul vem sendo a mais nova atração para os turistas que visitam Alagoas. O banho de lama medicinal existente no mangue faz parte do roteiro de atividades do projeto do complexo de ecoturismo Dunas de Marapé, localizado a 55 minutos de Maceió, no distrito de Duas Barras, em Jequiá da Praia. Toda semana dezenas de turistas de toda parte do Brasil lotam um local no mangue para tomar banho.

Segundo Albanir Augusto, que trabalha como guia do complexo de ecoturismo, um estudo realizado pela biomédica Zélia Maria  Nogueira Brisscha, da Universidade de São Paulo (USP), a argila encontradas em mangues tem surtido um efeito positivo contra doenças articulares, como artrite, reumatoide e artrose. A lama dos mangues possui propriedades terapêuticas, que melhora bastante a pele, já que fornece nutrientes para deixá-la macia.

Essa prática de usar lama como “creme” para pele é antigo e os próprios índios que habitavam a região utilizavam dessas propriedades terapêuticas para tratar de problemas na pele.

IMG_7795IMG_7782

Esse atrativo do complexo Dunas de Marapé é apenas um dos que estão à disposição dos visitantes e que faz parte de um projeto bem maior, que tem como  objetivo gerar multiplicadores da consciência de preservação do meio ambiente, através da atividade do ecoturismo.

O complexo foi instalado há mais de dez anos no distrito de Duas Barras, em Jequiá da Praia. Segundo o responsável pelo projeto de ecoturismo do complexo, Albanir Augusto, toda atividade turística desenvolvida pelo empreendimento está voltada para a valorização do ecossistema existente em sua volta.

Dunas do Marapé está localizado em frente a uma das praias mais lindas do  litoral Sul de Alagoas, precisamente em uma restinga, na Foz do Rio Jequiá. A área faz parte da única reserva extrativista do Nordeste, onde fica a majestosa Laguna de Jequiá. Cercado por manguezais, mar e rio, o complexo Dunas do Marapé é hoje um dos locais mais procurados pelos turistas no Litoral Sul.

IMG_7898

O empreendimento gera mais de 150 empregos diretos e indiretos ajudando a aquecer a economia local, comercializando o artesanato.

Assim que chega ao complexo de ecoturismo, o visitante é encaminhado a um espaço onde assiste a uma palestra sobre meio ambiente. É uma “aula” de educação ambiental que os visitantes recebem sobre o manguezal e sua importância para o ecossistema, assim como os cuidados que se deve ter, enquanto estiverem no complexo.

IMG_7813

Uma das recomendações mais exigidas são quanto à proibição de alimentar os animais, como os saguins e iguanas. Essas espécies da fauna nativa habitam o local e sempre aparecem para os visitantes, sendo uma atração à parte. Entretanto, é proibido dar alimentos a eles, a não ser frutas tropicais. Outro grande cuidado recomendado aos visitantes é quanto ao lixo. Não se pode deixar nada no chão, ou nas águas do rio ou do mar. Mesmo assim, os funcionários estão atentos a tudo.

IMG_7817

Ecopasseios

Segundo Albanir Augusto, o complexo de ecoturismo desenvolveu passeios com o objetivo de mostrar aos visitantes a importância do ecossistema. Um desses passeios é a “trilha dos caetés”, que é realizada através do Rio Jequiá, até as áreas de mangues e praias.

No percurso, os guias fazem também a descrição do ecossistema e no final param para um banho de lama, numa área escolhida que já é usada pelos pescadores da região.

IMG_7799“Pau de arara “

Outra opção de passeio ecológico é a trilha “pau de arara”, realizado por um veículo militar de transporte de tropa da Segunda Guerra Mundial, que é também uma atração à parte. O QT (Qualquer Terreno) percorre sítios de coqueiros, indo até próximo à Praia de Jacarecica do Sul, um santuário de desova de tartarugas marinhas, mas este passeio só vamos mostrar na próxima reportagem de nosso blog. Não percam!

eioambienteeturismo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com