201608311638_d27292e5b6

POLÍTICA Collor diz que resultado do impeachment mostra ”dois pesos e duas medidas”

O ex-presidente e senador Fernando Collor de Mello (PTC) declarou, por meio de nota divulgada à imprensa na tarde desta quarta-feira (31), que o resultado do impeachment de Dilma Rousseff (PT) mostra ”dois pesos e duas medidas do mesmo processo”. Isso porque o ex-presidente relembrou que, em 1992, mesmo apresentando uma carta renúncia para evitar a suspensão dos direitos políticos pelo período de oito anos, os senadores ignoraram o comunicado e o condenaram à exclusão da vida política.

O senador destacou que, em 1992, a sua renúncia separou a questão da destituição e da inabilitação.  “Basta verificar na Resolução do Senado nº 101/92, resultante do processo: o impeachment ficou prejudicado em função da renúncia, mas não a inabilitação por oito anos. Ou seja, o Senado juntou as penalidades. Agora, em 2016, deu-se o inverso. A Constituição traz a questão conjugada, mas o Senado separou as penalidades. Dois pesos, duas medidas. Mais do que nunca, cabe repetir: o rito é o mesmo; o ritmo, o rigor e, agora, o remate, não”, disse o ex-presidente.

Collor comenta questão de ordem apresentada ao presidente da Sessão

Em 1922, apesar de ele ter renunciado, senadores o condenaram a perda dos direitos políticos

A decisão do plenário do Senado de afastar Dilma definitivamente do comando do Palácio do Planalto foi tomada na primeira votação do julgamento final do processo de impeachment. A pedido de senadores aliados de Dilma, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, decidiu realizar duas votações no plenário. A primeira analisou apenas se a petista deveria perder o mandato de presidente da República.

Na sequência, os senadores apreciaram se Dilma devia ficar inelegível por oito anos a partir de 1º de janeiro de 2019 e impedida de exercer qualquer função pública. Na votação, 42 senadores se posicionaram favoravelmente à inabilitação para funções públicas e 36 contrariamente. Outros 3 senadores se abstiveram. Para que ela ficasse impedida de exercer cargos públicos, eram necessários 54 votos favoráveis.

gazetaweb.globo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com