2e5fe081-e6fd-4031-86f8-ade363856d74

Número de sessões é reduzido na ALE e deputado propõe corte nos salários de faltosos

As sessões ordinárias na Assembleia Legislativa (ALE) ocorrerão apenas as terças e quartas durante o período que antecede as eleições de outubro. De autoria do deputado Marcelo Victor (PMDB), o requerimento solicitando a redução foi aprovado nesta terça-feira, 9, com dois votos contrários, dos deputados Rodrigo Cunha (PSDB) e Pastor João Luiz (PSC).

Marcelo Victor, que é candidato a prefeito em Rio Largo, lembrou que o requerimento alterando os dias das sessões deliberativas – que ocorrem às terças, quartas e quintas – está respaldado pelo Regimento Interno da Casa.

“Nada é mais importante que a manifestação política que terá agora em outubro que vem… A Assembleia sempre participou das eleições municipais, diretamente ou não. Não podemos achar que este serviço é de menos importância, porque não é”, defendeu o parlamentar, acrescentando: “Se não trabalharmos na quinta, estaremos sendo eficientes, pois estaremos economizando o dinheiro público, sem despesa de café, água e energia…”.

Discordando do colega, Rodrigo Cunha sugeriu que àqueles que quiserem se dedicar mais ao pleito, peçam licença do cargo. “É interessante observamos como as eleições municipais mexem com essa Casa, mas apesar de ter alguns que vão disputar o pleito, entendo que não é necessário que a Casa pare por conta disso”, defendeu.

Já Antônio Albuquerque (PTB) disse que a Mesa Diretora pode adotar algumas medidas para garantir a presença dos parlamentos nos dois dias estabelecidos para as sessões deliberativas, lembrando que, em uma das ocasiões que presidiu a Casa, os deputados faltosos tinham os salários descontados.

“Se houver presença nas sessões de terça e quarta é possível deliberar sobre todas as matérias de urgência nesses 45, 50 dias… A produção maior ou menor depende da dedicação dos deputados”, destacou Albuquerque, sugerindo ainda a possibilidade de transferir a sessão deliberativa de quinta para segunda-feira.

Bruno Toledo (PROS) disse que, embora concorde com Rodrigo Cunha, compreende que é inegável o envolvimento político da Casa no processo eleitoral. Ele lembrou que na quinta-feira passada, apenas ele e o deputado Cidoca comparecerem ao plenário.

“Não há crítica a isso. Não há de se ter discurso para a sociedade quando, na prática, principalmente nos dias de quinta, pouco se produz… Dificilmente há sessão… O requerimento busca somente efetivar o que já ocorre… Até para ter clareza para sociedade, para não ficar fingindo, concordo com Marcelo Victor”, analisou Toledo.

 cadaminuto

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com