Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa extraordinária para votar a Denúncia 1/2016, que trata do julgamento do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Roussefff por suposto crime de responsabilidade. 

Bancada: 
senador Humberto Costa (PT-PE); 
senador Lindbergh Farias (PT-RJ); 
senadora Fátima Bezerra (PT-RN); 
senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) 

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado
Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa extraordinária para votar a Denúncia 1/2016, que trata do julgamento do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Roussefff por suposto crime de responsabilidade. Bancada: senador Humberto Costa (PT-PE); senador Lindbergh Farias (PT-RJ); senadora Fátima Bezerra (PT-RN); senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

LULA ORDENOU ‘ESTRATÉGIA DO INSULTO’ NO SENADO

A “estratégia do insulto” foi ordenada pelo ex-presidente Lula aos senadores aliados, no julgamento de Dilma, segundo revelou a esta coluna um senador do PT. A expressão “o Senado não tem moral para cassar ninguém” é do próprio Lula. Ele já não pretende reverter o impeachment, mas utilizar esses insultos no documentário “Golpe”, no qual o PT deposita sua esperança de “salvação” nas próximas eleições. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A ideia do documentário, de produção milionária, seria do marqueteiro João Santana. Será usado na eleição do Brasil e exibições no exterior.

A estratégia de Lula é resumida numa frase: “Se a gente não conseguir evitar o impeachment, ao menos vamos tentar desmoralizá-los”.

Petistas ainda relutam em usar dossiês com “podres” de senadores pró-impeachment temendo que os próprios podres sejam expostos.

No encontro de ontem no Alvorada, o indiciado Lula fez ver a Dilma que ela será condenada, e a aconselhou também a atacar o Senado.

diariodopoder

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com