201608101304_ff7f73164f

Ícone do judô brasileiro, Tiago Camilo leva virada e é eliminado nas oitavas

Tiago Camilo entrou no tatame da Arena Carioca 2 já eternizado na história do esporte brasileiro. Dono de duas medalhas olímpicas (prata em Sydney 2000 e bronze em Pequim 2008) e em sua quarta participação nos Jogos, o veterano de 34 anos é o considerado o judoca mais técnico do país. Entretanto, apesar de estar muito bem fisicamente, ele não tem mais a mesma explosão que lhe deu também o título mundial de 2007. Esse ponto acabou fazendo a diferença, nesta quarta-feira, no duelo de oitavas de final contra o Mammadali Mehdiyev, do Azerbaijão, que é nove anos mais novo do que o paulista. Tiago saiu na frente com yuko, mas acabou tendo menos gás para atacar na reta final da luta, sofreu um wazari e acabou dando adeus antes das quartas à sua última Olimpíada. Ao deixar o tatame da Arena Carioca 2, o judoca que fez parte de várias gerações da seleção brasileira foi bastante ovacionado pela torcida, que soube reconhecer a sua importância. Pouco antes de Tiago ser eliminado, Maria Portela, do até 70kg, havia sido desclassificada por entrada irregular de golpe no duelo de oitavas de final contra a austríaca Bernadette Graf.

Mesmo tendo feito apenas duas lutas na Rio 2016, Tiago não deixou de presentear o público com a sua maior marca na carreira: a busca incessante pelo golpe perfeito. Foi com um bonito ippon a vitória sobre o sul-africano Zack Piontek, pela primeira rodada.

Assim, o judô brasileiro teve o seu pior dia nos tatames do Rio. Nos quatros dias anteriores, ao menos um representante do país chegou ao bloco da tarde, quando são disputadas a repescagem, semifinais e finais. Até aqui, a seleção brasileira conquistou “apenas” o ouro com Rafaela Silva, mas frustrou as expectativas que tinha de medalha com Sarah Menezes (até 48kg), Érika Miranda (até 52kg) e Victor Penalber (até 81kg). Na terça-feira, o medalhista de bronze no Mundial do ano passado, o carioca decepcionou nesta terça-feira, ao cair nas oitavas de final. Mariana Silva surpreendeu no até 63kg e acabou em quinto.

Tiago Camilo entra golpe perfeito no sul-africano Piontek

FOTO: MARCIO RODRIGUES/MPIX/CBJ

 

BELO IPPON NA ESTREIA

Tiago Camilo sabe muito bem como lutar uma Olimpíada. Ele iniciou a sua quarta participação na principal competição do esporte esbanjando tranquilidade. A disputa por pegada era feita com força, mas com leveza. O paulista sempre buscar o encaixe perfeito para entrar suas técnicas. Com pouco menos de um minuto, ele conseguiu derrubar Piontek, que caiu de lado: yuko.

O sul-africano cresceu um pouco no combate e passou a conseguir cortar a pegada de Camilo, que passou a ter dificuldade e acabou sendo punido por falta de combatividade. A torcida reclamou bastante do árbitro. Quando faltavam dois minutos, Piontek começou a acusar o cansaço. Em bela forma física aos 34 anos, Tiago sabia que devia aproveitar a situação e tentou entrar seguidamente golpes de braço. O africano escapava.

No minuto final, Camilo poderia ter apenas segurado a vantagem embaixo do braço e cozinhado a luta. Mas ele sempre busca o ippon. E o golpe perfeito veio faltando 17 segundos. Com um seio (técnica de braço), o brasileiro jogou o gringo de costas no chão: ippon, para delírio do público.

A ELIMINAÇÃO NAS OITAVAS

Muito mais experiente do que Mammadali, Tiago quis demonstrar desde o início que ele conhece melhor o caminho para vencer uma luta em Olimpíada e partiu para cima do lutador do Azerbaijão. A técnica de perna, no entanto, acabou não saindo perfeita, e o gringo caiu de bruços no solo.

A partir daí, a briga pela pegada ficou mais complicada. Camilo encontrava dificuldade para cortar a pegada e acabou recendo uma penalizaçao Quando entrou dois golpes de perna, o oponente soube antecipar e evitar a queda.

Tiago fez mais força e derrubou o rival, obtendo um yuko. A torcida vibrou muito. Mas, pouco depois, faltou gás. E o azeri virou o placar. Com mais energia, ele derrubou Tiago, conseguiu um wazari e chegou a imobilizar Tiago por 11 segundos, somando também um wazari.

Camilo tinha um minuto para evitar a eliminação. Ele partiu com tudo para buscar o golpe perfeito, mas o oponente se defendeu muito bem. E Tiago deu adeus!

gazetaweb.globo.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com